EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Amnistia Internacional acusa Polónia de reenvios forçados de migrantes

Amnistia Internacional acusa Polónia de reenvios forçados de migrantes
Direitos de autor Czarek Sokolowski/AP
Direitos de autor Czarek Sokolowski/AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comissária europeia com a pasta dos Assuntos Internos alerta para o papel do regime bielorrusso

PUBLICIDADE

A Polónia tem sido acusada de alegados reenvios forçados de migrantes para a Bielorrússia. Para que não restem dúvidas, a Amnistia Internacional diz ter a prova.

A organização não-governamental apoiou-se numa investigação digital para acusar as autoridades de Varsóvia de fechar a porta a 32 migrantes afegãos, violando a lei europeia.

"Esta é uma situação inteiramente criada pela Polónia, porque eles estão a manter pessoas presas, em condições realmente terríveis, sem qualquer tipo de apoio. As coisas vão piorar. O que tem de acontecer agora é a Polónia ter acesso a essas pessoas, permitir que tenham uma avaliação individual do pedido de asilo, em linha com o direito internacional. Também é preciso que a União Europeia atue com rapidez e firmeza para resolver o impasse", sublinhou, em entrevista à Euronews, Eve Geddie, diretora da Amnistia Internacional UE.

Para a comissária europeia com a pasta dos Assuntos Internos é essencial chamar a Bielorrússia à responsabilidade neste contexto, por atrair os migrantes para a Europa e os deixar entregues à sorte.

"Temos de prevenir mortes às portas das nossas fronteiras externas. Também é importante estarmos juntos e proteger essas fronteiras, sendo firmes contra Aleksander Lukashenko", lembrou Ylva Johansson.

Ativistas de direitos humanos na Polónia querem que a política fique de lado para que se possa agir e resolver a crise humanitária.

"Há mais cadáveres na floresta entre a Bielorrússia e a Polónia. Por isso, estamos a tentar evitar mais mortes no terreno. Mas o governo não está a dar nenhum tipo de assistência humanitária. E também não estão a permitir que as organizações não-governamentais que querem ajudar entrem na zona", denunciou Marta Górczyńska, advogada polaca direitos humanos.

A razão? A Euronews colocou a pergunta à eurodeputada polaca Anna Zalewska, do Grupo dos Conservadores e reformistas europeus. Respondeu, via e-mail, que a vaga migratória é uma iniciativa de Aleksander Lukashenko e de Valdimir Putin.

Falou num "ataque híbrido da Bielorrússia" e insistiu que "informações falsas fornecidas por alguns meios de comunicação ou organizações também fazem parte do processo."

De visita à Polónia, a comissária europeia com a pasta dos Assuntos Internos vai encontrar-se, esta quinta-feira, com o ministro polaco do Interior para discutir também a possível ajuda da agência de vigilância de fronteiras FRONTEX.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polacos contestam violência contra migrantes na fronteira

Expulsão de migrantes legalizada pelo governo polaco

Migrantes impedidos de pedir asilo