UE: abertas negociações de adesão com Albânia e Macedónia do Norte

Presidente da Comissão Europeia falou num "momento histórico"
Presidente da Comissão Europeia falou num "momento histórico" Direitos de autor Boris Grdanoski/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Processo rumo ao bloco adivinha-se longo e complexo

PUBLICIDADE

A Albânia e a Macedónia do Norte deram mais um passo rumo ao futuro europeu. A União Europeia (UE) lançou hoje as negociações de adesão dos dois países ao bloco.

Um "momento histórico", nas palavras da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que pode trazer mais estabilidade para as relações de Bruxelas com os dois estados.

"Haverá um impulso no investimento. Haverá melhores ligações comerciais. Haverá uma colaboração mais estreita em áreas-chave como, por exemplo, energia e transporte. Vai maximizar-se a utilização e o impacto do financiamento da UE. Isso significa novos empregos, novas oportunidades de negócios. É isso que os cidadãos esperam há muito tempo e para o que tanto trabalharam, e isto é isso o que eles merecem", sublinhou von der Leyen.

O processo adivinha-se longo. Basta dizer que a Macedónia do Norte obteve o estatuto de país candidato à UE em 2005.

Desde então um veto da Grécia bloqueou progressos. Em 2020, foi a Bulgária que colocou entraves, por causa de divergências históricas e culturais.

Agora, a Macedónia do Norte terá de mudar a Constituição para incluir os búlgaros nos grupos étnicos reconhecidos. Será precisa uma maioria de dois terços no parlamento, mas não há garantias.

O primeiro-ministro, Dimitar Kovačevski, apelou ao bom senso: "hoje, na primeira Conferência Intergovernamental (CIG), todos os Estados-membros saudaram o nosso primeiro passo para a adesão à UE. É responsabilidade de todos os políticos do país apoiar este caminho. É o único caminho para a República da Macedónia do Norte construir um futuro com mais sucesso, mais democrático e mais próspero."

A Albânia fez o pedido de adesão em 2014, mas a UE vinculou a candidatura ao processo da Macedónia do Norte.

As negociações adivinham-se complexas. O sucesso depende da rapidez com que os países garantem a aplicação das leis e regulamentos da UE, em particular em matéria de Estado de Direito e erradicação da corrupção.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Von der Leyen não quer trabalhar com "amigos de Putin" no Parlamento Europeu

Famílias pedem ajuda da UE para libertar reféns face iminente operação em Rafah

UE chegou a acordo sobre 13.º pacote de sanções contra a Rússia