Von der Leyen debateu migração e PRR com Meloni

Access to the comments Comentários
De  Giorgia Orlandi  & Isabel Marques da Silva
Ursula von der Leyen fez primeira visita ao governo de Roma desde que Giorgia Meloni tomou posse
Ursula von der Leyen fez primeira visita ao governo de Roma desde que Giorgia Meloni tomou posse   -   Direitos de autor  Jean-Francois Badias/Copyright 2022 The AP. All rights reserved

Migração e fundos europeus foram os principais temas na reunião da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, com a chefe do governo italiano, Giorgia Meloni, segunda-feira, em Roma.

Para a líder italiana é fundamental que haja avanços na implementação do Pacto de Migração e Asilo, sendo Itália uma das principais portas de entrada na União Europeia para quem busca trabalho ou refúgio.

A ideia de redistribuição dos migrantes e requerentes de asilo por outros Estados-membros continua a não sair do papel.

Mas Itália não vai baixar os braços, diz a correspondente da euronews em Roma, Giorgia Orlandi: "A Itália quer desempenhar um papel mais ativo na Europa quando se trata de migração, para inverter o histórico de insucessos de anteriores governos. Por outras palavras, a Itália quer ficar na História como o país que conseguiu mudar a situação de uma vez por todas".

Quanto aos fundos europeus, a primeira-ministra quer afinar o Plano de Recuperação e Resiliência fechado pelo antecessor, Mario Draghi. O governo de Roma vai receber o maior envelope de dinheiro entre todos os Estados-membros: 191 mil milhões de euros.

"O governo italiano apresentou uma proposta de revisão da gestão do plano, isto é, sobre a forma como as verbas devem ser administradas pelo executivo em Roma. Tal requer autorização da Comissão Europeia, pelo que esse pedido foi amplamente discutido entre a primeira-ministra e a presidente da Comissão", explica Girogia Orlandi.

Ursula von der Leyen aproveitou a visita à capital italiana para prestar homenagem ao anterior presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, que morreu há um ano, quando ainda estava em funções.