EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Temos de fechar os céus de Kharkiv", diz Presidente da Câmara

Presidente do Município de Kharkiv, Ihor Terekhov
Presidente do Município de Kharkiv, Ihor Terekhov Direitos de autor Donogh McCabe
Direitos de autor Donogh McCabe
De  Johanna UrbancikLiv Stroud, Denys Glushko
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

A Euronews falou com o Presidente da Câmara de Kharkiv, Ihor Terekhov, sobre a última ofensiva russa e o que a cidade precisa para sobreviver ao inverno.

PUBLICIDADE

O presidente da Câmara de Kharkiv, Ihor Terekhov, disse à Euronews que, apesar de a recente ofensiva russa ter sido travada pelas Forças Armadas ucranianas, a situação na segunda maior cidade da Ucrânia continua crítica.

"A situação é complicada, porque, infelizmente, temos ataques todos os dias. Todos os dias ouvimos explosões na cidade de Kharkiv. Quase todos os dias há mortos e feridos, e a destruição é enorme. O inimigo bombardeia Kharkiv todos os dias", explicou na Conferência de Recuperação da Ucrânia, realizada na semana passada em Berlim, onde as infra-estruturas energéticas e a situação da cidade estiveram na linha da frente dos temas discutidos.

Apesar da intensificação dos ataques russos na região de Kharkiv, que duraram semanas durante o mês de maio, Terekhov afirmou que, tanto quanto sabe, não houve muitas pessoas a abandonar a segunda maior cidade da Ucrânia.

"Algumas pessoas saíram, mas não foi um grande número. A maioria das pessoas está a ficar", acrescentou.

O exército ucraniano está a expulsar gradualmente as tropas russas do Oblast de Kharkiv, afirmou o Presidente Volodymyr Zelenskyy em 17 de junho. De acordo com Zelenskyy, as forças russas sofreram cerca de 4.000 baixas durante a sua última ofensiva.

O melhor em Kharkiv são os residentes de Kharkiv.
Ihor Terekhov
Presidente da Câmara de Kharkiv

Terekhov nasceu em Kharkiv e, agora, como presidente da câmara municipal, revelou o que mais gosta na cidade. "O melhor de Kharkiv são os seus habitantes", afirmou, sublinhando que é por isso que "temos de trabalhar em conjunto para proteger Kharkiv, reconstruir Kharkiv e fazer com que a vida volte ao normal, como era antes da guerra".

Apoio à saúde mental dos residentes de Kharkiv

Mísseis, bombas planas e drones têm sido utilizados para destruir infra-estruturas energéticas e matar civis em Kharkiv e os seus residentes têm sido obrigados a suportar ataques aéreos, que duram em média 16 horas por dia.

Terekhov conhece o impacto que isto tem na saúde mental dos residentes, explicando que, nos últimos dois anos, "fornecemos transportes públicos gratuitos. Damos boleias gratuitas às pessoas e levamos as crianças à escola. Estamos a fazer tudo o que podemos para melhorar o seu estado emocional, para que não se sintam isolados". No âmbito destas medidas, sublinhou a importância dos parques e das zonas verdes da cidade.

As crianças que vivem em Kharkiv viram o seu percurso educativo interrompido, primeiro pela pandemia de COVID-19 e depois pela invasão total da Rússia em 2022. Em resposta, Kharkiv construiu a primeira escola subterrânea, permitindo que cerca de 900 alunos estudem em segurança e sem interrupções. Para Terekhov, esta escola subterrânea é, no entanto, agridoce.

Não quero que Kharkiv seja uma cidade clandestina.
Ihor Terekhov
Presidente da Câmara de Kharkiv

"Não quero que os nossos filhos estudem na clandestinidade. Não quero que Kharkiv seja uma cidade clandestina. Mas esta é uma medida necessária. Compreendemos isso perfeitamente, porque não temos outra escolha neste momento", disse.

A mobilização está a decorrer

844 dias após a invasão em grande escala, a investida brutal da Rússia não só afetou os ucranianos, como também fez diminuir as filas nos postos de recrutamento. Em resposta, a Ucrânia reduziu a idade de alistamento dos homens de 27 para 25 anos.

Volodymyr Zelenskyy promulgou os projetos de lei em abril para reforçar as forças armadas do país, que se debatem com dificuldades para manter as suas linhas da frente. Prevê-se que estas novas leis acrescentem cerca de 50.000 soldados, mas é uma fração dos 500.000 soldados adicionais anteriormente pretendidos.

Segundo Terekhov, a mobilização está a decorrer. "Sim, lembro-me dos primeiros dias da guerra, quando havia uma fila para os centros de recrutamento militar, quando havia uma fila para receber as armas, estávamos a distribuir essas armas, e as pessoas recebiam essas armas, iam lutar, defender o seu país, a sua cidade, e nós compreendemos isso. Hoje em dia, a situação da mobilização ainda está em curso, as pessoas têm-se mobilizado e os centros de recrutamento militar estão a tratar disso", explicou.

Preparar Kharkiv e a Ucrânia para o inverno

O inverno que se aproxima assusta muitos ucranianos, com a laureada com o Prémio Nobel da Paz, Oleksandra Matviichuk, a confessar que não tem a certeza de como irão sobreviver ao inverno sem eletricidade. A resposta para muitos são os sistemas de defesa aérea. Se a Ucrânia tiver a possibilidade de proteger as suas infra-estruturas, os ucranianos não terão de passar frio.

Precisamos de fechar os céus sobre Kharkiv e precisamos de mais sistemas de defesa aérea.
Ihor Terekhov
Presidente da Câmara da Kharkiv

Terekhov disse que os sistemas de defesa aérea também são necessários para proteger Kharkiv e os seus habitantes: "Precisamos de fechar os céus de Kharkiv e precisamos de mais sistemas de defesa aérea", afirmou.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Adesão da Ucrânia à UE deverá "congelar" durante a presidência húngara

Stoltenberg diz que 23 países da NATO vão atingir limite mínimo de despesa militar

Familiares de soldados ucranianos em cativeiro protestam em Kiev