Última hora
This content is not available in your region

Pensar para lá dos limites

Pensar para lá dos limites
Tamanho do texto Aa Aa

Pensar fora das normas educacionais foi o tema da Cimeira Mundial de Inovação em Educação, deste ano, em Doha.

Durante três dias decorreram 84 workshops e debates, no Centro Nacional de Congressos do Qatar e, entre os convidados especiais, esteve o ex-ministro da Educação francês Jack Lang.

Aumentar a motivação de alunos e professores foi o principal tópico da cimeira. Qual a relação entre a falta de motivação e as altas taxas de abandono escolar?

Uma maneira de manter o interesse é a utilização de jogos de vídeo no processo de aprendizagem:

“Eles criam-nos um conjunto de problemas e motivam-nos a resolvê-los, por isso é uma ajuda na aprendizagem. Vivemos num mundo cheio de problemas graves, gostávamos de ajudar as pessoas a resolvê-los melhor e porque não usar uma tecnologia que tem como objetivo ajudar as pessoas na resolução de problemas”, explica James Paul Gee, professor de estudos literários na Universidade do Arizona.

O que se espera dos professores pode ser complexo. Eles têm de ensinar, ser criativos e obter resultados. É um desafio enorme:

“Durante muito tempo domesticámos, demasiado, os currículos. Talvez quiséssemos torná-los mais fáceis, mais acessíveis, mas na realidade tornámo-los, extremamente aborrecidos. Para além disso, apercebemo-nos que estas pessoas não têm muitos recursos na vida real, para serem felizes, para saberem cooperar, para fazerem aquilo que é realmente importante. Por isso, penso que este momento é um convite a tentar tornar selvagens todos aqueles que domesticámos, demasiado”, adianta a freira Nuria Miró, Diretora da Escola Montserrat.

Como todos os anos, a cerimónia de entrega dos prémios foi o momento alto da cimeira.

Ann Cotton, fundadora da CAMFED, uma ONG que oferece educação a mais de três milhões de raparigas, em África, ganhou o “Prémio WISE”, 500 mil dólares pelo seu compromisso pessoal com a educação.

Seis projetos educacionais ganharam os “WISEAWARDS”, 20 mil dólares pelos seus esforços em proporcionar maior acesso à alfabetização e promover a criatividade e o emprego. O Educate Girs, da Índia, é um desses projetos.

“Atualmente temos 4.500 voluntários da comunidade a trabalhar connosco e, juntos, eles trouxeram mais de 80 mil meninas”, explica Safeena Husain, fundadora e Presidente do “Educate Girls”.

“O objetivo da sexta Cimeira Mundial de Inovação em Educação foi ambicioso: apelar à criatividade na sala de aula. Um fórum mais alargado, que anos anteriores, e que reuniu especialistas de todo o mundo”, explica Aurora Vélez, a enviada da euronews a Doha, no Qatar.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.