Última hora
This content is not available in your region

Polícia da RDC acusada de dezenas de assassinatos

Polícia da RDC acusada de dezenas de assassinatos
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch acusa a polícia da Republica Democrática do Congo de ter assassinado 51 pessoas e de ter feito desaparecer outras 31.

Os crimes terão acontecido durante uma operação contra grupos criminosos em Kinshasa entre novembro e fevereiro.

“Eles andaram de bairro em bairro, à procura de suspeitos do gangue koluna e, habitualmente, não investigam quem são as pessoas. Então, inocentes acabaram por ser vítimas. Nalguns casos arrastam homens e rapazes das suas casas, espancam-nos e humilham-nos em frente à família e aos vizinhos, nalguma casos são baleados e mortos”, afirma Ida Sawyer, da Human Rights Watch.

Ainda não houve resposta ao relatório da ONG, mas em outubro o ministério do Interior rejeitou um dossiê idêntico das Nações Unidas e acusou os autores de tentarem desestabilizar o governo.

Isto apesar de existirem registos e testemunhas das operações.

“Eles partiram com o meu filho. E já lá vai um ano desde que eles o levaram”, diz uma mulher.

Na sequência das acusações da ONU, o governo chegou mesmo a expulsar o chefe da delegação do departamento de direitos humanos das Nações Unidas.

Depois de uma reação negativa do conselho de segurança, o ministério do Interior deu indicações para dar espaço à agência da ONU.