Relações Rússia-Nato em queda livre

Relações Rússia-Nato em queda livre
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

No âmbito do agravamneto do conflito no leste da Ucrânia, Vladimir Putin comenta as sanções internacionais contra a Rússia e empresários russos, numa entrevista divulgada nos meios de comunicação nacionais.

O presidente invoca os tempos da guerra fria e da cortina de ferro. “Nós entendemos a fatalidade da cortina de ferro. Tanto nós como outros países tivemos periodos da nossa história em que ficamos afastados do resto mundo. Todos pagamos por isso o que conduziu a uma degradação e destruição de relações e confiança. Nós definitivamente não queremos ir por esse caminho. E ninguém vai construir um muro à nossa volta.Isso é impossível.”

A preocupação internacional com a crise na Ucrânia e a ameaça potencial de um contágio ao resto da Europa Oriental aumenta e foi o tema que dominou a Conferência de Segurança em Halifax, no Canadá, onde anualmente se reunem líderes de todo o mundo para debater as ameaças globais.

Os Estados bálticos têm manifestado preocupação em relação a uma potencial invasão russa.

O Presidente da Estónia falou à enviada da Euronews. “Nós somos democracias fortes, fazemos parte da União Europeia, participamos da NATO, isso é algo que desagrada à Rússia, que desde 1991 e mesmo durante o periodo sovéticoo adotou a atitude de que não se encaixa aqui. Eles não são como nós.”

Com a tensão cada vez maior na Ucrânica a NATO reiterou solidariedade e o compromisso de proteger e defender os Estados Bálticos em caso de ataque russo.

A enviada da Euronews reporta que “ As relações entre a Rússia e a NATO parecem estar em queda livre, enquanto surgem alianças de defesa na Europa Oriental, a Rússia continuou a negar qualquer implicação no conflito e os objetivos de desestabilização desta região”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin confirma recandidatura à presidência da Rússia

Advogados de Navalny em prisão preventiva até março de 2024

Valeriy Gergiev foi nomeado diretor do teatro Bolshoi de Moscovo