EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Moldávia entre duas realidades

Moldávia entre duas realidades
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

A Moldávia é um país dividido entre a Rússia e a Europa.

Este domingo, milhares de cidadãos moldavos esperaram, pacientemente, no exterior da sua embaixada, em Moscovo, para votar.

O exercício democrático transformou-se numa manifestação pró-russa e numa advertência contra a integração na União Europeia:

“Ninguém está contra a União Europeia. Mas penso que a UE não nos fará nenhum bem, começará uma guerra como na Ucrânia. As pessoas vão matar-se umas às outras, destruir-se mutuamente. E nós não precisamos desta guerra”, afirma uma jovem.

Um argumento de peso para quem quer voltar a fazer parte do rebanho da Rússia. A Moldávia é uma República ex-soviética. Tem 3,5 milhões de habitantes, 78% falam romeno, uma minoria russa.

Há um ano a Moldávia assinou o Acordo de Associação com a União Europeia, em Vílnius, o mesmo que a Ucrânia, na era Ianukovich, não chegou a assinar. O documento, ratificado por Chisinau no início de julho, irritou Moscovo. A reação russa foi semelhante à que o país teve em relação à Ucrânia no verão de 2013:

A proibição, nos últimos meses, de importar fruta, carne e vinho da Moldávia sob o pretexto de “violações das normas de saúde”. Outras importações foram sujeitas a impostos. A Moldávia é muito dependente dessas exportações agrícolas para a Rússia.

“O comércio de vinho sofreu um rude golpe e, agora, alastrou às empresas de comida processada, que se juntam aos fornecedores de legumes e fruta. Estão todos a sofrer perdas e estas perdas vão aumentar com o tempo.”

A Moldávia declarou a independência em 1991, em 1994 os moldavos recusaram juntar-se à Roménia, em referendo. Em 1990 a Transnístria, uma região do leste europeu, oficialmente parte da Moldávia, declarou, unilateralmente, a independência.

A independência desta região, maioritariamente de expressão russa e anexada por Estaline à Moldávia, não foi reconhecida por nenhum Estado mas tem o apoio de Moscovo. Em 2006, os habitantes da região, que faz fronteira com a Ucrânia, defenderam uma união com a Rússia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Separatistas da Transnístria pedem a Moscovo "proteção" contra a pressão da Moldova

Autárquicas na Moldávia ensombradas pela influência da Rússia

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa