2014, ano trágico para os migrantes

2014, ano trágico para os migrantes
De  Ricardo Figueira com The Telegraph
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

No ano que agora acaba, mais de 3400 pessoas morreram ao tentar atravessar o Mediterrâneo. É o número mais alto de sempre.

PUBLICIDADE

O ano de 2014 foi o mais mortífero de sempre para os migrantes, segundo um relatório da ONU.

Mais de 3400 pessoas morreram ao tentar atravessar o Mediterrâneo para chegar à Europa.

Ao todo, cerca de 270.000 pessoas tentaram fazer a travessia, um número quase três vezes maior que o anterior recorde, que tinha sido registado durante a guerra civil líbia de 2011.

O Alto Comissário da ONU para os refugiados, António Guterres, lançou um aviso aos governos da Europa: têm de fazer mais esforços para evitar estas tragédias. Segundo Guterres, os governos estão mais preocupados em proteger as fronteiras que em salvar as vidas em perigo.

A Itália, ponto de entrada de uma grande parte destes migrantes, mudou recentemente para uma política mais dissuasiva em relação aos migrantes que tentam chegar ao território.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morreu o estilista Roberto Cavalli aos 83 anos

Greve em Itália após explosão mortal em central hidroelétrica

Croácia: confronto entre presidente e primeiro-ministro marca campanha para as legislativas