Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Nicarágua: O canal da discórdia

Nicarágua: O canal da discórdia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na Nicarágua, a população está revoltada contra o projeto que prevê a construção de um canal, três vezes maior que o do Panamá, que vai ligar os oceanos Atlântico e Pacífico.

Esta mega-obra resulta de um acordo do governo da Nicarágua com um grupo chinês, está orçada em 50 mil milhões de dólares (40 mil milhões de euros) e está a despertar a ira, sobretudo daqueles que vivem nas terras que vão ser expropriadas: “Se os deixamos expulsar à força as pessoas que vivem na zona onde o canal vai supostamente ser construído. As pessoas não têm qualquer proteção legal. Por isso temos de apoiar este protesto”, diz um manifestante.

Diz outro homem: “Não queremos os chineses na Nicarágua, porque vêm para cá prejudicar a economia do país. Temos fome, precisamos de comer”.

O início da construção está previsto para o dia 22 deste mês. Nem os 50 mil empregos gerados pelo projeto parecem convencer a população, que acusa o presidente Daniel Ortega de estar a vender o país.