EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Estrados Unidos ao lado do "mais antigo aliado" na luta contra o "obscurantismo"

Estrados Unidos ao lado do "mais antigo aliado" na luta contra o "obscurantismo"
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com LUSA, Reuters, EFE, Le Parisien
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

“Hoje, amanhã, em Paris, em França e por todo o Mundo, o poder da liberdade de expressão vencerá na luta contra os obscuratismo”. Foi a frase forte

PUBLICIDADE

“Hoje, amanhã, em Paris, em França e por todo o Mundo, o poder da liberdade de expressão vencerá na luta contra os obscuratismo”. Foi a frase forte da declaração, esta quarta-feira à tarde, de John Kerry, o porta-voz oficial dos Estados Unidos, na reação pública de Washington ao atentado cometido pela manhã, na capital francesa contra a redação da revista satírica semanal Charlie Hebdo, no qual foram mortas 12 pessoas, incluindo o diretor da publicação, cartonistas e policias.

"Our thoughts and prayers are with the victims of this terrorist attack and the people of France" —President Obama pic.twitter.com/ZzVOyGNzfK

— The White House (@WhiteHouse) 7 janeiro 2015

Com o Presidente Barack Obama a reagir através de um comunicado escrito, condenando o ataque e oferecendo todo o apoio ao “mais antigo aliado da América”, como descreveu a França o chefe da Casa Branca, coube ao secretário de Estado norte-americano a reação de viva voz. Expressando-se em francês, o responsável pela diplomacia do “Tio Sam” aproveitou uma expressão proferida ao jornal Le Parisien esta quarta-feira, após o atentado, por Hassen Chalghoumi, líder religioso islâmico de Drancy, perto de Paris.

Attentat à #CharlieHebdo : carte interactive de l'itinéraire des tireurs >>http://t.co/8P2r42bn8Zpic.twitter.com/q9skNugmvq

— Le Parisien (@le_Parisien) 7 janeiro 2015

“Estou de acordo com o Imã de França, para quem os jornalistas assassinados são ‘mártires da liberdade’. Os assassinos, por sua vez, proclamaram a morte da revista Charlie Hebdo. Podem estar, contudo, seguros de uma coisa: Hoje, amanhã, em Paris, em França e por todo o Mundo, o poder da liberdade de expressão vencerá na luta contra os obscuratismo”, garantiu John Kerry.

O secretário de Estado norte-americano estava acompanhado, durante esta comunicação, pelo ministro dos negócios estrangeiros polaco. Grzegorz Schetyna tinha agendada uma conferência de imprensa conjunta com o homólogo norte-americano, em Washington, mas a mesma, com naturalidade, passou para segundo plano depois dos acontecimentos desta manhã em Paris.

#CharlieHebdo : l'hommage des caricaturistes du monde entier à voir EN IMAGES >>http://t.co/73uvW1o1zJ#JeSuisCharliepic.twitter.com/jbCVINdthj

— Le Parisien (@le_Parisien) 7 janeiro 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Jornalistas palestinianos recebem Prémio Liberdade de Imprensa da UNESCO

Jornalista americano Evan Gershkovich está detido há um ano na Rússia

Repórteres sem Fronteiras lançam satélite para chegar aos territórios de língua russa