Ébola em África: Futebolistas controlados e novos casos em queda

Ébola em África: Futebolistas controlados e novos casos em queda
De  Francisco Marques com OMS, LUSA, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Libéria, Guiné Conacri e Serra Leoa, os três países mais afetados pelo ébola, registam uma queda no número de novos casos

PUBLICIDADE

Libéria, Guiné Conacri e Serra Leoa registam uma queda no número de novos casos de ébola. Os três países da África Ocidental mais afetados pelo vírus revelam uma redução significativa da propagação do vírus, mas nem por isso os organizadores da Taça das Nações Africanas de futebol (CAN), que se realiza na vizinha Guiné Equatorial, vão baixar a guarda.

Winner of the #BallondOr - @Cristiano was a part of the #FIFA11AgainstEbola message. #EbolaChatpic.twitter.com/3vbmFgRoW6

— Ebola Alert (@EbolaAlert) 13 janeiro 2015

De acordo com a Confederação Africana de Futebol (CAF), os jogadores de todas as seleções em prova deverão passar pela capital Malabo para serem submetidos a testes de deteção do ébola. Os que revelarem qualquer sinal do vírus e os que se recusarem a ser examinados podem ser colocados de quarentena até 21 dias.

O receio da epidemia de ébola foi a razão evocada por Marrocos para, à última hora, se recusar a organizar a prova este ano no seu território, como previsto. Os marroquinos solicitaram o adiamento da prova, o que foi não aceite.

Questions and contributions are welcome. #EbolaChatpic.twitter.com/2AgtMneTqI

— Ebola Alert (@EbolaAlert) 13 janeiro 2015

Com a CAN a arrancar este sábado, o mais recente relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) revela que a Guiné Equatorial, palco da prova africana similar ao Europeu de futebol em seleções, registou o menor número de novos casos numa só semana desde 17 de agosto. Nos últimos 21 dias, confirmaram-se mais 230 casos num total de 2514 pessoas, das quais 1530 morreram.

Consulte aqui o relatório oficial da OMS

A Libéria registou a semana com o menor número de novos casos desde a primeira semana de junho de 2014, sendo que nos dois últimos dias da semana que terminou a 11 de junho não houve qualquer novo caso confirmado. Nos últimos 21 dias, o país registou apenas 48 novos casos, num total acumulado de 3127 pessoas com infeção confirmada.

RT @blackvoices: 1st Ebola clinic for pregnant women opens in Sierra Leone http://t.co/0zp9K8Oxjepic.twitter.com/0t7CYs39v9@wellbeingafrica

— Ebola Alert (@EbolaAlert) 14 janeiro 2015

A Serra Leoa, por fim, registou a segunda semana com os novos casos em queda, alcançando o melhor resultado desde 31 de agosto. Ainda assim, nos últimos 21 dias registaram-se 769 casos no país, num total de 7786 pessoas, das quais 2696 morreram.

[WT] Sierra Leone president predicts 0 Ebola cases by March end http://t.co/nsOxnecNyq#EBOLANEWS

— Ebola Alert (@EbolaAlert) 15 janeiro 2015

No balanço total da OMS, nestes três países da África Ocidental registaram-se 21261 casos, entre confirmados, prováveis e suspeitas. Desses, 1047 nos últimos 21 dias. Ao todo, na Guine Equatorial, Libéria e Serra Leoa, já morreram atacadas pelo ébola 8414 pessoas.

“O declínio é real, mas isso não significa que a luta tenha terminado”, alertou Tarik Jasarevic, porta-voz da OMS, em declarações à France Press.

"@ONECampaign: Interview:Tarik Jasarevic on WHO response to #Ebola outbreak http://t.co/dYUyoDZ7Wf via @UNFoundationpic.twitter.com/lTqoPCIHhp"

— Prisczy (@Prisczyy) 11 agosto 2014

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Uganda levanta parcialmente o confinamento

Pelo menos 92 mortos em explosão de camião cisterna

OMS pede desculpa por abusos na RD Congo