EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ucrânia vive primeiro dia de trégua sem baixas

Ucrânia vive primeiro dia de trégua sem baixas
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com AFP, APTN, REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Ucrânia viveu as primeiras 24 horas sem qualquer baixa no exército regular, desde que entrou em vigor o cessar-fogo.

PUBLICIDADE

Esta quarta-feira foi o primeiro dia, desde a entrada em vigor do cessar-fogo na Ucrânia, em que não houve qualquer baixa entre as tropas ucranianas.

O exército regular da Ucrânia fala de uma diminuição significativa dos tiros por parte dos rebeldes separatistas e congratulou-se por não ter havido mortes nas últimas 24 horas.

“Ontem e anteontem houve combates. As nossas tropas foram atacadas, por isso não retirámos a artilharia pesada. Vamos ver se o cessar-fogo é mantido, tal como foi esta tarde. Então, poderemos falar de uma retirada da artilharia”, disse Victor Sherdluh, comandante do exército ucraniano.

Em Donetsk, bastião dos rebeldes, o aeroporto, agora transformado num monte de entulho, foi palco de uma missão macabra: Os soldados ucranianos feitos prisioneiros ajudaram a encontrar os corpos dos camaradas mortos, que vão agora ser entregues às famílias.

Captive Ukrainian soldiers dig out the bodies of comrades killed in Donetsk ... http://t.co/ewahAZYBrX

— Donetsk Daily (@DonetskDaily) February 26, 2015

Diz o comandante rebelde Mikhail Tolstykh (“Givi”): “Se as tropas ucranianas não interferirem connosco vamos levá-los e entregá-los às mães, para que os possam enterrar. Eles estavam a lutar aqui, não sei porquê. Seguiam ordens do presidente deles. Eram militares e temos de respeitar os nossos inimigos”.

Os rebeldes continuam a retirar o armamento pesado da linha da frente, conforme o que foi acordado em Minsk, mas o medo de que haja uma tentativa de capturar a cidade de Mariupol continua presente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin já previa anexar Crimeia e leste da Ucrânia há um ano, diz jornal russo

Rússia faz exercícios militares a poucos quilómetros da UE

Rússia/Ucrânia: guerra do gás volta a ensombrar a Europa