Itália evita nova tragédia no Mediterrâneo

Itália evita nova tragédia no Mediterrâneo
De  Lurdes Duro Pereira com AFP, Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Chegaram ao porto de Augusta, no sudeste da Sicília, os mais de 400 imigrantes resgatados, esta terça-feira, a poucos quilómetros da costa líbia

PUBLICIDADE

Chegaram ao porto de Augusta, no sudeste da Sicília, os mais de 400 imigrantes resgatados, esta terça-feira, a poucos quilómetros da costa líbia.

Hoje, uma equipa de busca e salvamento da Guardia di Finanzia evitou outra tragédia no Mediterrâneo. No total, 115 pessoas foram resgatadas com vida de um barco pneumático que se encontrava a pouco mais de 60 quilómetros da costa líbia.

Os apelos a uma maior cooperação internacional multiplicam-se na véspera da cimeira extraordinária do Conselho Europeu depois das mais recentes tragédias no Mediterrâneo.

O naufrágio de um barco com cerca de 900 pessoas a bordo, este fim de semana, trouxe para a ordem do dia um problema antigo que se agravou com o fim da missão “Mare Nostrum.”

A justiça italiana acusou, entretanto, o capitão do barco, um tunisino de 27 anos, de homicídio múltiplo. Já o imediato, um sírio de 25 anos, foi acusado de incitamento à imigração ilegal.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Imigração: um sonho chamado "Europa"

Cartoons: "é a rir que se castigam os costumes"

Morreu o estilista Roberto Cavalli aos 83 anos