Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Grécia assegura que honrará pagamento ao FMI

Grécia assegura que honrará pagamento ao FMI
Tamanho do texto Aa Aa

Atenas diz-se pronta a pagar 750 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional esta terça-feira. O ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, deixou essa mesma garantia em Bruxelas, onde participa hoje numa reunião dos ministros das Finanças da zona euro.

O encontro do Eurogrupo adivinha-se complexo, à medida que os cofres de Atenas se esvaziam, e ainda não se prevê um cenário de acordo, que desbloqueie o dinheiro remanescente do programa de resgate.

“A Grécia vai cumprir sempre as obrigações que tem para com os credores e está claro que o faremos de novo esta terça-feira. Espero que tenhamos uma boa reunião, que reforce os grandes passos que temos dado junto das instituições, e também que crie um bom ambiente para que nos próximos dias possamos tentar um acordo, o que ainda não fizemos”, disse o ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis.

Pouco otimista em relação ao desfecho da reunião do Eurogrupo, o ministro alemão das Finanças reuniu-se esta segunda-feira com o homólogo grego, à margem do encontro.
Wolfgang Schäuble convidou a Grécia a fazer referendo à zona euro: “Se o Governo grego quer um referendo, deve fazê-lo. Talvez seja, de facto, a melhor opção, para que o povo grego possa decidir se está pronto para aceitar o que é preciso ou se quer algo diferente.”

Schäuble reforçou que se por um lado as negociações não avançam, por outro, o clima de diálogo melhorou.

O encontro do Eurogrupo deverá servir para acertar agulhas, mas ainda não se vislumbra um consenso porque às linhas vermelhas do Governo grego, somam-se as dos países credores.

Efi Koustokosta, Euronews – “A Grécia espera uma mensagem positiva do Eurogrupo, o que poderia permitir que o BCE afrouxe os termos da liquidez para o país, mas de acordo com fontes europeias isso poderá não ser possível enquanto não houver um acordo final.”