EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Maquinistas voltam a parar comboios e podem custar 100 milhões por dia à Alemanha

Maquinistas voltam a parar comboios e podem custar 100 milhões por dia à Alemanha
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Reuters, BDI
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Os caminhos-de-ferro da Alemanha voltaram a ser afetados, esta terça-feira, por uma nova greve. Uma vez mais, os maquinistas estão em protesto, por

PUBLICIDADE

Os caminhos-de-ferro da Alemanha voltaram a ser afetados, esta terça-feira, por uma nova greve. Uma vez mais, os maquinistas estão em protesto, por melhores condições, incluindo aumentos salariais e redução do horário de trabalho semanal.

A suspensão do serviço pelos maquinistas da Deutsche Bahn, a companhia de caminhos-de-ferro alemã, voltou a começar pelos comboios de mercadoria. Os de passageiros juntam-se esta quarta-feira à paralisação.

Trotz GDL-Streik: Jeder zweite Regionalzug in Bayern soll fahren: Ersatzfahrpläne am Nachmittag online -… http://t.co/ea9K3xXRa0#DBVm

— Deutsche Bahn (@DB_Info) 19 maio 2015

Promovida pelo GDL, o principal sindicato do setor, a greve é justificada pela alegada intransigência da empresa ferroviária germânica em ceder nas negociações com os maquinistas.

O GDL garante que a presente paralisação não será por tempo indefinido, mas sem revelar um prazo previsto para que os maquinistas retomem o serviço. Um porta-voz do sindicato admitiu, ainda assim, que esta greve poderá ser “um pouco maior” que a de cinco dias realizada no início do mês.

BDI zum #Bahnstreik: #GDL setzt den international guten Ruf des Logistikstandortes Deutschland erneut aufs Spiel.

— BDI (@Der_BDI) 19 maio 2015

Esta será a nona greve dos maquinistas alemães em 10 meses e, de acordo com uma estimativa da BDI, a voz da indústria alemã, esta greve pode custar à maior economia da Europa 100 milhões de euros por cada dia de paralisação dos comboios e ainda prejudicar a imagem de centro de operações industrial e logístico do continente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico

Borrell compara destruição em Gaza com danos causados nas cidades alemãs na Segunda Guerra Mundial

Três alemães detidos por suspeitas de espiarem para a China