Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Bancos gigantes pagam 5 mil milhões para evitar processos

Bancos gigantes pagam 5 mil milhões para evitar processos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Cinco dos maiores bancos do mundo vão pagar às autoridades norte-americanas e europeias mais de 5 mil milhões de euros em multas por terem manipulado o mercado de câmbios, mesmo à custa dos clientes.

Citigroup, JP Morgan, Barclays e Royal Bank of Scotland – autodenominados “o cartel” – declararam-se culpados para evitar um processo judicial. Admitiram ter usado salas privadas de conversação eletrónica e linguagem codificada para manipular o preço de dólares e euros entre 2007 e 2013.

A procuradora-geral dos Estados Unidos explica. “O comportamento dos operadores de mercado, que eram muito experientes, enriqueceu substancialmente as instituições financeiras. E foi uma ação sistémica e tão flagrante que decidimos levar a responsabilidade até ao mais alto nível”, declarou Loretta Lynch.

O suíço UBS escapou a um acordo extrajudicial mas está também obrigado a pagar uma multa milionária por incumprimento de um acordo prévio. O banco suíço deverá declarar-se culpado de más práticas em relação à taxa de referência interbancária Libor.

Alastair Mccaig, analista, afirma que “o estrago na reputação destes bancos é questionável, uma vez que os investidores e negociadores tendem a preferir o brilho dos resultados totais.
Em relação aos bancos, suponho que estejam mais próximos de desenhar uma linha limite em relação a más práticas”.

A investigação global sobre a manipulação de taxas de câmbio está a colocar o mercado, até agora pouco ou nada regulado, sobre apertado escrutínio e a empurrá-lo para um eventual sistema de negociação automatizada.