EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA: Senado chumba "Freedom Act" mas também não prolonga o "Patriot Act".

EUA: Senado chumba "Freedom Act" mas também não prolonga o "Patriot Act".
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O Senado norte-americano chumbou um diploma para limitar a capacidade da NSA de recolha em massa e sistemática de dados das comunicações telefónicas. Mas a câmara alta do Congresso também não consegui

PUBLICIDADE

O Senado norte-americano chumbou, este sábado, o “Freedom Act”, um diploma para limitar a capacidade da NSA – a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos – de recolha em massa e sistemática de dados das comunicações telefónicas. Mas a câmara alta do Congresso também não conseguiu aprovar uma extensão temporal ao “Patriot Act”, lei que permite essa vasta recolha de metadados e que expira no final deste mês de maio.

USA Freedom Act fails as senators reject bill to scrap NSA bulk collection http://t.co/7VYy53iPKs

— The Guardian (@guardian) 23 maio 2015

O vasto programa de recolha de dados privados levado a cabo pela NSA foi revelado há cerca de dois anos por Edward Snowden, o analista de sistemas informáticos que está agora exilado na Rússia.

Edward Snowden praises Rand Paul's ten-and-a-half hour takeover of the Senate floor in protest of the Patriot Act. http://t.co/I9N1UCOL9Q

— The Intercept (@the_intercept) 22 maio 2015

Aprovado na Câmara dos Representantes, mas não no Senado, o “Freedom Act”, que visa eliminar algumas disposições do “Patriot Act” que levantam questões de privacidade, conta com o apoio do Presidente Barack Obama, mas também do republicano Rand Paul, candidato à corrida à Casa Branca.

Here are some of the key numbers in the USA Freedom Act debate: http://t.co/pQd7x6Zcswpic.twitter.com/K8txePszUu

— Senate Democrats (@SenateDems) 18 maio 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"