EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Pacifistas cruzam a fronteira entre as coreias para apelar à paz.

Pacifistas cruzam a fronteira entre as coreias para apelar à paz.
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters, AFP, EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Para apelar à paz e à reconciliação na península da Coreia, que continua tecnicamente em guerra, um grupo de 30 mulheres ativistas atravessou este domingo o paralelo 38.

PUBLICIDADE

Para apelar à paz e à reconciliação na península da Coreia, que continua tecnicamente em guerra, um grupo de 30 mulheres ativistas atravessou este domingo o paralelo 38 N, na zona desmilitarizada (DMZ), a faixa com 4 km de largura e quase 250 km de extensão que divide e serve de fronteira às duas coreias há mais de seis décadas.

Women's walk across Koreas' Demilitarized Zone denied, so they cross on bus http://t.co/i9MOVzUlh7pic.twitter.com/9zXR107qpS

— Hindustan Times (@htTweets) 24 maio 2015

Na Zona de Segurança Conjunta, em Panmunjom, onde foi assinado o armistício de 1953, as ativistas disseram que “as mulheres das Coreias do Norte e do Sul – e de todo o mundo – estão a caminhar para convidar as partes a abrir um novo capítulo da história coreana. Um (capítulo) que seja marcado pelo diálogo, a reconciliação, a compreensão e o respeito mútuos, e por uma prosperidade pacífica”, referiu Janis Alton.

Frontera de Panmunjom con las casetas azules de la ONU las cuales están divididas entre Corea del Sur y del Norte pic.twitter.com/ingisYhewm

— Alvaro Mijares 알바로 (@alvariteus) 20 fevereiro 2015

O grupo seguiu depois de autocarro da zona desmilitarizada – que é de facto uma das fronteiras mais militarizadas do mundo – para a Coreia do Sul, onde marcharam já na companhia de ativistas da sul-coreanas que não puderam atravessar a fronteira. Originalmente, as mulheres queriam atravessar a zona desmilitarizada a pé, mas a Coreia do Sul não autorizou e o caminho após Panmunjom acabou por ser feito de autocarro.

No lado sul-coreano houve quem se reunisse a protestar contra a iniciativa por considerar tratar-se de uma ação de propaganda do regime de Pyongyang.

Counter-rally against @WomenCrossDMZ activists on the South Korean side http://t.co/HK34HdV7Bopic.twitter.com/BiO1chMywR

— James Pearson (@pearswick) 24 maio 2015

Organizada pela feminista norte-americana Gloria Steinem e com a presença de duas laureadas com o prémio Nobel da Paz – a irlandesa Mairead Maguire e a liberiana Leymah Gbowee – a marcha pacifista entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul coincidiu com o Dia Internacional das Mulheres pela Paz e o Desarmamento.

Gloria Steinem and female activists cross Korean demilitarised zone: Women Cross DMZ group traverses border be... http://t.co/4EdSSOV7gC

— Tourej Ansari (@tourejansari) 24 maio 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líder do principal partido da oposição da Coreia do Sul esfaqueado no pescoço

Dia da Terra foi celebrado em todo o mundo

Fu Bao, o panda gigante nascido na Coreia do Sul, chegou à China de avião