EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Turquia: Erdogan encarrega primeiro-ministro cessante de formar governo

Turquia: Erdogan encarrega primeiro-ministro cessante de formar governo
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Erdogan surgiu pela primeira vez diante das câmaras desde a derrota eleitoral de domingo. O presidente turco recebeu a demissão do primeiro-ministro

PUBLICIDADE

Erdogan surgiu pela primeira vez diante das câmaras desde a derrota eleitoral de domingo. O presidente turco recebeu a demissão do primeiro-ministro e encarregou Ahmet Davutoglu de formar um novo governo. O sucessor formal de Erdogan na liderança do AKP tem uma missão impossível pela frente uma vez que o seu partido não conseguiu a maioria absoluta e os três restantes partidos afirmaram que não iriam participar num governo de coligação com a formação de Erdogan. Se dentro de 45 dias não houver governo são convocadas novas eleições.

Uma das chaves para o futuro do país passa pela questão curda, como referiu esta terça-feira em Ancara Selahattin Demirtas, o líder do HDP, o partido pró-curdo:

“O processo de paz vai continuar, de uma forma ou de outra. Nós todos precisamos de paz. Aqueles que falam em nome do antigo governo não devem levar a sério as afirmações contrárias ao processo de paz antes antes do início da legislatura e da tomada de posse do novo governo. A sociedade turca está à espera de uma solução da nossa parte.”

A tensão permanece ao rubro na região de maioria curda. Esta terça-feira um religioso que liderava uma ONG ligada ao Hezbollah libanês foi assassinado em Diyarbakir. Os seus apoiantes retaliaram contra elementos do HDP. Os confrontos fizeram mais dois mortos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Conservadores croatas e a extrema-direita fazem coligação antes das eleições europeias

Primeiro-ministro da Escócia demite-se

Análise: “Por detrás da decisão de Sánchez está uma estratégia de preparação para as eleições”