EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

EUA: Washington descarta possibilidade de ciberataque contra bolsa e United Airlines

EUA: Washington descarta possibilidade de ciberataque contra bolsa e United Airlines
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A administração norte-americana descarta a possibilidade de um ciberataque ter estado na origem dos problemas informáticos que bloquearam, esta

PUBLICIDADE

A administração norte-americana descarta a possibilidade de um ciberataque ter estado na origem dos problemas informáticos que bloquearam, esta quarta-feira, a bolsa de Nova Iorque e a companhia aérea United Airlines.

As transações dos mercados financeiros em Nova Iorque foram retomadas às 15h10, hora local, depois de três horas de interrupção.

O Secretário da Segurança Interna, Jeh Johnson, anunciou a abertura de uma investigação às falhas informáticas, que atingiram também o periódico Wall Street Journal:

“Falei com o presidente da United e parece que, tanto os problemas na companhia aérea, como na bolsa não são o resultado de uma ação concertada. Temos menos informações sobre o ocorrido no Wall Street Journal, esperemos que o problema seja resolvido como o foi na United Airlines”.

A companhia aérea foi obrigada, esta manhã, a anular mais de 3.500 voos depois de ter sido obrigada a desligar os sistemas informáticos durante cerca de uma hora.

Trata-se do segundo problema do género a afetar a companhia nas últimas seis semanas, quando os Estados Unidos se mantêm em alerta para o risco, considerado elevado, de um ataque informático.

Apesar dos desmentidos, o grupo de “hacktivistas” Anonymous, enviava esta tarde uma estranha mensagem. Provocação ou reivindicação?

#YAN Successfully predicts @NYSE fail yesterday. Hmmmm. pic.twitter.com/GDHqdepVau

— Anonymous (@YourAnonNews) July 8, 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos