EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Grécia reabre bancos sem pôr fim a controlos de capital

Grécia reabre bancos sem pôr fim a controlos de capital
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os bancos gregos reabriram esta segunda-feira após quase três semanas de encerramento, quando os controlos de capital persistem no país.

PUBLICIDADE

Os bancos gregos reabriram esta segunda-feira após quase três semanas de encerramento, quando os controlos de capital persistem no país.

O levantamento máximo semanal passou de 60 para 420 euros, os depósitos em dinheiro continuam proibidos e as transferências e pagamentos internacionais foram reativados, mas com limitações.

A bolsa de Atenas continua, no entanto, encerrada.

Os habitantes de Atenas, entrevistados esta manhã, estavam longe de festejar a reabertura das instituições bancárias:

“Levantamentos, movimento de cheques, continuam a ser um problema, todo o tipo de transações que uma empresa necessita para trabalhar. Espero que as coisas regressem gradualmente ao normal”.

“Frustrado? Porquê? Porque as pessoas que organizaram a reabertura dos bancos não têm miolos? Há duas a três horas que estou aqui à espera”.

“Perdi a minha vez na fila pois as pessoas que chegaram mais tarde puseram-se à minha frente, não há sítio para sentar, tenho as pernas doridas. Estou à espera há mais de hora e meia”.

A reabertura dos bancos coincide com a entrada em vigor da subida do IVA ou do adiamento da idade da reforma, algumas das contrapartidas do terceiro programa de resgate ao país.

Atenas recebeu igualmente os cerca de 7,1 mil milhões de euros do empréstimo temporário da União Europeia para que o país possa saldar a dívida com os credores.

O FMI confirmou esta tarde que o país pagou o valor em dívida com a instituição de 2 mil milhões de euros, quando Atenas tem começou a saldar a próxima “tranche” de 4,2 mil milhões de euros do empréstimo do BCE.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Grécia: do inferno à prosperidade

Ativistas russos lançaram ataque cibernético ao setor bancário da Chéquia

"Êxodo" de banqueiros de Londres após Brexit