Última hora
This content is not available in your region

Madrid não recebeu reivindicações relativamente aos jornalistas desaparecidos

Madrid não recebeu reivindicações relativamente aos jornalistas desaparecidos
Tamanho do texto Aa Aa

O governo espanhol não recebeu nenhuma reivindicação relativamente ao desaparecimento de três jornalistas na Síria. O executivo de Madrid não privilegia nenhuma hipótese de momento. Antonio Pampliega, José Manuel Lopez e Angel Sastre chegaram à cidade de Alepo, com passagem pela Turquia, a 10 de julho. Dois dias depois perdeu-se o contacto com os três repórteres. Teme-se que tenham sido raptados.

O chefe da diplomacia espanhola refere que “infelizmente este não é o primeiro caso nos quase quatro anos” em que está em funções. José Manuel García-Margallo sublinha que “todos os casos se resolveram de forma satisfatória” e que “aqueles que não saltaram para a imprensa” resolveram-se bastante mais depressa. “O importante” – rematou – “é trazê-los de volta a casa, sãos e salvos e o mais rapidamente possível. E para isso a discrição é a regra.”

Em setembro de 2013 três outros jornalistas espanhóis foram raptados no país e libertados seis meses depois. A Síria é considerada o país mais perigoso do mundo para jornalistas pela organização Repórteres Sem Fronteiras. Desde 2011 morreram pelo menos 44 jornalistas a cobrir a guerra civil na Síria.

With spanish friends…

Posted by Usama Ajjan on Saturday, July 11, 2015
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.