EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Presidente turco promete manter guerra ao terrorismo após segunda-feira sangrenta

Presidente turco promete manter guerra ao terrorismo após segunda-feira sangrenta
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com LUSA, Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Recep Tayyp Erdogan prometeu esta terça-feira manter a luta contra o terrorismo iniciada há quase três semanas com a operação militar “guerra

PUBLICIDADE

Recep Tayyp Erdogan prometeu esta terça-feira manter a luta contra o terrorismo iniciada há quase três semanas com a operação militar “guerra sincronizada ao terror”. A promessa do Presidente da Turquia surge um dia depois de uma segunda-feira sangrenta no país, que terminou com pelo menos 9 mortos, na sequência de uma onda de ataques de norte a sul contra as forças de segurança turcas.

A 24 de julho, a Turquia deu início à operação militar com dois alvos bem definidos: o grupo Estado Islâmicoc (ISIL, na sigla inglesa), na Síria, e os militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), no norte do Iraque.

Os rebeldes curdos contra-atacaram e, desde então, com a soma de raides turcos contra posições do PKK, houve também uma escalada de atentados contra as forças de segurança turcas, sobretudo no sudeste do país, nas províncias de Sirnak e Hakkari, junto à fronteira com o Iraque.

Para Erdogan, negociar a paz, como vinha acontecendo desde 2012, já não chega. “Parar o combate armado não é suficiente. É preciso baixar as armas e enterra-las. Eu insisto nisto. A nossa luta vai continuar até que não reste nenhum terrorista dentro das nossas fronteiras e que as armas deles estejam soterrados por betão”, afirmou o Presidente turco, num discurso transmitido pela televisão e no qual garantiu que os ataques visando o PKK foram “eficazes” e infligiram “sérias perdas” neste grupo considerado terrorista também por Estados Unidos e União Europeia.

Terör örgütleri, ülkemiz için tehdit olmaktan çıkarılıp, sınırlarımız içinde tek bir terörist kalmayana kadar mücadelemize devam edeceğiz.

— Recep Tayyip Erdoğan (@RT_Erdogan) 11 agosto 2015

(“As organizações terroristas têm de ser removidas das ameaças ao nosso país. Nós continuaremos a nossa luta até que não reste nenhum terrorista dentro das nossas fronteiras”)

Um dos ataques de segunda-feira terá sido, no entanto, diferente dos demais que têm vindo a ocorrer na Turquia. Teve por alvo o consulado dos Estados Unidos em Istambul. Foi conduzido por duas pessoas e uma delas, uma mulher, acabou ferida e detida pelas forças de segurança turcas.

Moment US consulate Istanbul shooter, Hatice Asik is shot and captured by police – video goes viral – http://t.co/i0yrl7GxFV

— Johnlee Abraham (@Johnleeabraham) 10 agosto 2015

O ataque ao consulado não foi reivindicado, mas um grupo marxista de extrema-esquerda e conhecido por ser contra a presença dos Estados Unidos na Turquia, colocou-se ao lado da mulher capturada pelos polícias turcos. A Frente Armada Revolucionária de Libertação do Povo identificou a mulher como Hatice Asık, e prometeu manter-se fiel à alegada luta dela pela expulsão dos norte-americanos da Turquia.

Six US Air Force F-16 Fighting Falcons deploy to Incirlik Air Base, Turkey, to support the fight against ISIL pic.twitter.com/luym4jtffM

— US Mission to NATO (@USNATO) 9 agosto 2015

O ataque aconteceu um dia após a chegada de aviões militares dos Estados Unidos à base aérea turca de Incirlik, no sul do país, junto ao Mediterrâneo, para reforçarem a contra-ofensiva aliado ao grupo Estado Islâmico, no norte da Síria.

As forças militares norte-americanas anunciaram, entretanto, a realização de 30 raides aéreos pela aliança internacional contra o ISIL: 20 junto a posições dos “jihadistas” no Iraque e 10 na Síria.

Coalition lobs 30 more air strikes against ISIL in Syria, Iraq http://t.co/iN3VV0axenpic.twitter.com/rHPHXh5ltA

— Today's Zaman (@todayszamancom) 11 agosto 2015

.PressSec</a> – One year after U.S. first launched airstrikes, the U.S.-led coalition has now hit ISIL with more than 6,000 airstrikes</p>&mdash; WH National Security (NSCPress) 7 agosto 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações

Vitória da oposição é sinal de "ingratidão", dizem apoiantes de Erdoğan na Turquia

Urnas já abriram na Turquia para as autárquicas, partido de Erdogan quer recuperar Istambul