Última hora

Kayla Mueller violada por líder do Estado Islâmico antes da morte

Kayla Mueller violada por líder do Estado Islâmico antes da morte
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Kayla Mueller, a trabalhadora humanitária que morreu no início deste ano, feita refém pelo Estado Islâmico foi repetidamente violada pelo líder do grupo terrorista, Abu Bakr al-Baghdadi. Esta é uma informação adiantada pelas autoridades norte-americanas.

Foi raptada em Aleppo, no norte da Síria e, alegadamente, trazida pelo próprio líder e mantida em cativeiro.

De acordo com as autoridades, Kayla Mueller, de 26 anos, também foi torturada durante o período que esteve à mercê dos jihadistas.

Kayla foi para a Turquia, no final de 2012, para trabalhar numa organização que prestava ajuda humanitária aos refugiados sírios.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.