Netanyahu pondera medidas drásticas contra "guerra das facas"

Netanyahu pondera medidas drásticas contra "guerra das facas"
De  Ricardo Figueira com Reuters, APTN, Jerusalem Post
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro israelita pode impor uma restrição de movimentos aos palestinianos de Jerusalém-Leste.

PUBLICIDADE

A “guerra das facas” em Israel e nos territórios palestinianos conheceu mais um episódio sangrento. Um jovem palestiniano foi morto pelo exército de Israel, perto de Hebron, depois de ter apunhalado um soldado no pescoço. O militar israelita alvo do ataque está no hospital em perigo de vida.

Só desde o início do mês foram mortos 54 palestinianos. Os alegados autores de ataques à faca representam metade deste número.

A situação levou já o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu a ponderar uma “restrição de movimentos aos palestinianos de Jerusalém-Leste”, o que representaria um terço da população árabe da cidade.

Hanan Hashrawi, membro do comité executivo da OLP, já reagiu e diz que a proposta de Netanyahu iria contra os direitos básicos dos cidadãos.

Os palestinianos de Jerusalém-Leste não têm nacionalidade israelita, ao contrário dos israelitas árabes, mas têm liberdade de movimentos e de trabalho dentro do Estado de Israel. Esta parte de Jerusalém foi anexada em 1967, juntamente com a Cisjordânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Segundo maior hospital de Gaza não está operacional. Israel quer reféns libertados até ao Ramadão

Israel diz ter descoberto túneis do Hamas debaixo da sede da UNRWA

Israel acolhe banda russa anti-Kremlin expulsa da Tailândia