A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Violência pós-eleitoral no Haiti

Violência pós-eleitoral no Haiti
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na capital do Haiti, Port-Au-Prince, centenas de manifestantes protestam desde sexta-feira, acusando o partido do Presidente no poder, Michel Martelly, de sabotar os resultados das eleições presidenciais disputadas no dia 25 de outubro, que deram o primeiro lugar ao candidato do governo, Jovenel Moïse.

Pelo menos um homem morreu, em consequência dos conflitos, na zona de Delmas. Nas ruas, protestam apoiantes de Jude Celestin e de Jean-Charles Moise, candidato que ficaram respetivamente em segundo e terceiro lugares no primeiro turno das eleições.

Maryse Narcisse, do partido Fanmi Lavalas, do ex-presidente Jean Bertrand Aristide, que ficou em quarto lugar (7,05%), contestou também os resultados eleitorais, denunciando um “golpe de Estado eleitoral.”

A segunda volta das presidenciais, dia 27 de dezembro, vai ser disputada por Jovenel Moïse e Jude Célestin, do partido do ex-Presidente René Préval. Segundo os dados divulgados, Moïse obteve 32,81% dos votos, contra 25,27% de Célestin.