EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Supremo Tribunal do Panamá ordena a "prisão preventiva" do ex-presidente Martinelli

Supremo Tribunal do Panamá ordena a "prisão preventiva" do ex-presidente Martinelli
Direitos de autor 
De  Euronews com efe, reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Supremo Tribunal de Justiça do Panamá ordenou a "prisão preventiva" do ex-presidente Ricardo Martinelli por causa de alegadas escutas ilegais a mais de 150 pessoas durante o seu mandato.

PUBLICIDADE

O Supremo Tribunal de Justiça do Panamá ordenou a “prisão preventiva” do ex-presidente Ricardo Martinelli por causa de alegadas escutas ilegais a mais de 150 pessoas durante o seu mandato.

O político e empresário, de 63 anos, que governou o país da América Central entre 2009 e 2014, está, segundo os advogados, a viver nos Estados Unidos há quase um ano, desde que foi aberto o primeiro dos seis processos que enfrenta na justiça.

A decisão de ordenar a dentenção do ex-chefe de Estado foi tomada ao final de mais de cinco horas de deliberação dos magistrados.

Para a acusação, a ordem de prisão é “uma boa forma” do Panamá começar a mostrar “que não apenas ex-presidentes, como no caso de Martinelli, mas também ministros, deputados e todos aqueles que espezinhem a dignidade do povo panamiano têm de pagar pelos seus atos perante a justiça. Já chega de tanta impunidade que o país viu durante décadas”, concluiu o advogado Marco Antonio Bernal.

Martinelli diz estar a ser alvo de perseguição política e reagiu no Twitter à decisão do Supremo afirmando tratar-se do “1.º round de um julgamento político”.

Round 1 de juicio politico: sin estar en expediente, sin imputaciòn, sin debida notificaciòn y sin condena se ordena detencion provisional.

— Ricardo Martinelli (@rmartinelli) 22 dezembro 2015

Dois ex-chefes de segurança de Martinelli estão detidos e aguardam julgamento neste caso.

Alguns apoiantes do ex-presidente reuniram-se à porta do Supremo Tribunal clamando “Ricardo, amigo, o povo está contigo”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tiroteio provoca o pânico no Panamá

Jornalista norte-americano Evan Gershkovich vai ser julgado na Rússia por espionagem

Estónia intensifica esforços para combater ataques híbridos russos