Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Países e figuras xiitas condenam Arábia Saudita após execução de proeminente clérigo

Países e figuras xiitas condenam Arábia Saudita após execução de proeminente clérigo
Tamanho do texto Aa Aa

Multiplicam-se as reações da comunidade muçulmana xiita contra a Arábia Saudita, depois da execução do clérigo Nimr al-Nimr, figura de proa da contestação ao regime sunita.

O líder xiita foi executado juntamente com outros três membros da minoria religiosa e 43 “jihadistas” sunitas, acusados de terrorismo.

O porta-voz do ministério saudita do Interior explicou, em conferência de imprensa, que “as execuções foram efetuadas em distintas partes do reino” e que “os condenados tiveram a oportunidade de deixar por escrito as últimas palavras”.

O anúncio da execução de Nimr provocou protestos no distrito de al-Qatif, o único onde os xiitas são maioritários na Arábia Saudita e onde a sua detenção, em 2012, e posterior condenação tinham já suscitado vivas reações. Protestos semelhantes eclodiram em países de maioria xiita.

O Irão, grande potência xiita, considerou a execução como um “grave erro” e o movimento xiita libanês Hezbollah classificou-a de um “crime”.