Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Embaixada da Arábia Saudita em Teerão foi atacada.

Embaixada da Arábia Saudita em Teerão foi atacada.
Tamanho do texto Aa Aa

Manifestantes saquearam e atiraram ‘cocktails Molotov’ contra a representação diplomática saudita na capital iraniana, incendiando uma parte do edifício, este sábado.

Os atos registaram-se depois de a Arábia Saudita ter executado o líder religioso xiita Nimr Baqer al-Nimr, figura da contestação ao regime, juntamente com 46 pessoas acusadas terrorismo.

Como reflexo do aumentar da tensão entre Teerão e Riade, o líder supremo do Irão, o ayatollah Ali Khamenei, já afirmou que a Arábia Saudita vai sofrer uma “vingança divina” pela execução do líder religioso.

No Iémen, onde a Arábia Saudita lidera uma coligação militar contra os rebeldes xiitas, a associação de teólogos ligada aos rebeldes condenou a execução e alertou para “uma revolução esmagadora”.

Após a execução do xeque Al-Nimr, algumas centenas de homens e mulheres manifestaram-se na Arábia Saudita, na cidade de maioria xiita de Qatif, no leste do país, brandindo retratos do dignitário xiita.

Al-Nimr, feroz crítico da dinastia sunita dos Al-Saud, tinha sido condenado à morte em outubro de 2014 por “terrorismo, rebelião, desobediência ao soberano” e “porte de armas” por um tribunal de Riade. A organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional denunciou o que classificou como um “julgamento iníquo”.