Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

OMS: Vírus zika "propaga-se de forma explosiva"

OMS: Vírus zika "propaga-se de forma explosiva"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Apesar dos esforços das autoridades sul-americanas, o vírus zika continua a propagar-se.

O nível de alarme é extremamente elevado - diretora-geral da OMS

A Organização Mundial de Saúde – que prepara uma reunião de urgência para segunda-feira – lança o alerta: o zika poderá vir a infetar entre três e quatro milhões de pessoas, sobretudo na Colômbia e no Brasil, onde se registam mais casos de infetados e de suspeitos.

“O vírus foi detetado, o ano passado, no continente americano, onde está a propagar-se de forma explosiva e já atingiu 23 países e territórios da região. O nível de alarme é extremamente elevado”, admite Margaret Chan, a diretora-geral da OMS.

O vírus zika é transmitido aos seres humanos pela picada de mosquitos infetados e está associado a complicações neurológicas e malformações em fetos.

Para as mulheres grávidas, a infeção representa um grave perigo, já que acarreta um risco de microcefalia.

“Pelo que a gente conhece da microcefalia nas outras situações, são situações gravíssimas, porque a gente sabe que mais de 90% dessas crianças vão ter retardo do desenvolvimento neuropsicomotor”, explica a ginecologista brasileira, Adriana Scavuzzi.

Nos Estados Unidos e no Canadá foram detetados doentes infetados com o zika. Todos tinham contraído a infeção em viagens à América Latina.

Em Portugal, de acordo com informações da Direção-Geral da Saúde, foram notificados seis casos de infeção, igualmente importados da América do Sul. Nenhum deles ocorreu em grávidas.