Síria: Rússia aceita presença passiva de grupos rebeldes no processo de paz

Síria: Rússia aceita presença passiva de grupos rebeldes no processo de paz
De  Francisco Marques com lusa, reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Rússia aceita que dois grupos rebeldes da oposição síria, o Jaish al-Islam (Exército do Islão) e Ahrar al-Sham (Movimento Islâmico dos Homens

PUBLICIDADE

A Rússia aceita que dois grupos rebeldes da oposição síria, o Jaish al-Islam (Exército do Islão) e Ahrar al-Sham (Movimento Islâmico dos Homens Livres do Levante), participem, mas como meros observadores, nas negociações de paz a decorrer em separado esta semana, em Genebra, na Suíça.

A posição de Moscovo foi revelada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, em Abu Dhabi, durante a visita desta terça-feira ao homólogo dos Emirados Árabes, o “sheik” Abdullah bin Zayed al-Nahyan. Sergei Lavrov avisa, no entanto, que esta abertura não significa que a Rússia deixe de ver estes dois grupos como eventuais terroristas.

Sergey Lavrov met with the Crown Prince of Abu Dhabi Mohammed bin Zayed Al Nahyan pic.twitter.com/0yVEy5JOqd

— MFA Russia (@mfa_russia) 2 fevereiro 2016

“A participação deles num contexto individual na delegação formada nos encontros de Riade não significa — e isto é reconhecido por todos, incluindo também os nossos colegas americanos e comoderadores do processo de Viena — isto não significa, dizia, que reconhecemos o Jaish al-Islam e o Ahrar al-Sham como parceiros nas negociações”, sublinhou Lavrov.

A Genebra, já chegou, entretanto, a representação do governo sírio. É a vez da delegação liderada por Bashar Jaafari se reunir com o delegado das Nações Unidas para o conflito sírio.

“The talks have started”
UN #Syria Envoy Staffan de Mistura says #SyriaTalks in Geneva have officially begun. Video https://t.co/HlBtOA7nF9

— UN Geneva (@UNGeneva) 2 fevereiro 2016

Na segunda-feira, o italo-sueco Staffan de Mistura já tinha estado reunido formalmente com a delegação da oposição, cujo líder é Mohamed Allouche, membro da comissão política do Jaish al-Islam. Após o encontro com De Mistura, o porta-voz da oposição síria, Salem al-Meslett acusou a Federação russa de estar a “criar um novo Hitler” ao continuar a apoiar o Presidente sírio, Bashar al-Assad.

Já esta terça-feira, a Comissão Suprema para as Negociações, a principal delegação da oposição, acusou o regime de al-Assad e a Rússia de colocarem em risco o processo de paz ao terem aumentado recentemente as alegadas agressões em Homs e Alepo, e de atacarem hospitais e outras infraestruturas importantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mísseis Taurus em Kiev? Alemanha investiga informações intercetadas pela Rússia

Países Baixos assinam tratado de segurança com Kiev

Funeral de Navalny: tributos por toda a Europa