Última hora
This content is not available in your region

Índice de Felicidade em Portugal já conheceu melhores dias

Índice de Felicidade em Portugal já conheceu melhores dias
Tamanho do texto Aa Aa

A Dinamarca destronou a Suíça e é, atualmente, o país mais feliz do mundo. Pelo menos é o que revela o Relatório Mundial da Felicidade de 2016 que coloca Portugal na 94.ª. posição numa lista composta por 157 países atrás, por exemplo, da Somália e da Líbia.

Para chegar ao índice de felicidade de cada país, o estudo realizado pela Sustainable Development Solutions Network e o Earth Institute, da Universidade de Columbia, teve em conta variáveis como o PIB per capita; a expectativa de anos de vida saudável; o apoio social da comunidade; a perceção de corrupção; a liberdade para tomar decisões e, ainda, a generosidade.

Os resultados foram divulgados esta quarta-feira, a poucos dias do Dia Mundial da Felicidade que se assinala a 20 de março.

O primeiro índice deste tipo foi publicado em 2012 no âmbito da conferência das Nações Unidas sobre a felicidade. Desde então, e à exceção do ano passado, a Dinamarca tem vindo a ocupar o primeiro lugar no “ranking” global da felicidade. O país do norte da Europa volta este ano ao topo da tabela, seguido da Suíça, a Islândia, a Noruega e a Finlândia. O Canadá, a Holanda, a Nova Zelândia, a Austrália e a Suécia completam as restantes posições do topo da tabela. Feitas as contas sete dos dez melhores países para se viver ficam na Europa. Mais abaixo aparece o Reino Unido à frente da França, da Espanha e da Itália.

De acordo com o estudo, há países onde as pessoas são menos felizes. É o caso do Togo, Afeganistão, Benim e Ruanda.

No espaço de um ano, Portugal caiu seis lugares e ocupa a 94.ª posição no ranking de 2016. No entanto, e segundo o ranking elaborado pelo portal U.S. News & World Report, em parceria com a empresa de consultoria BAV Consulting e a Wharton School da Universidade da Pensilvânia – divulgado em janeiro – que avalia 60 países, Portugal surge em 23.º. Uma posição para a qual contribuiu o património nacional.

No Relatório Mundial da Felicidade de 2016, a Síria aparece em penúltimo lugar na lista composta por 157 países e o Burundi como o menos feliz.