EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

G5 europeu defende troca internacional de informação contra a evasão fiscal

G5 europeu defende troca internacional de informação contra a evasão fiscal
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com lusa, efe
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As cinco maiores economias da Europa juntaram vozes esta semana no combate à evasão fiscal. Em reunião realizada em Washington, os ministros das

PUBLICIDADE

As cinco maiores economias da Europa juntaram vozes esta semana no combate à evasão fiscal. Em reunião realizada em Washington, os ministros das finanças de Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido defenderam a apresentação ao G-20 (o grupo das 20 maiores econmias do Mundo) de um sistema internacional de troca de informações para combater o recurso a “offshores” ilegais para omitir bens ao fisco.

O chanceler da Fazenda britânica reveliu ter sido acordado “um novo ataque contra aqueles que pretendem fugir aos impostos de forma ilegal e esconder as suas fortunas em cantos obscuros do sistema financeiro”. “O Reino Unido vai trabalhar ao lado dos parceiros europeus para descobrir quem detém de facto estas empresas fantasmas secretas e os meios utilizados para fugir aos impostos, lavar dinheiro e beneficiar da corrupção”, explicou George Osbourne.

Lagarde on Panama papers: International cooperation needs to improve and the IMF will be happy to play its part pic.twitter.com/hXlAF7tQGA

— IMF (@IMFNews) 14 de abril de 2016

(Lagarde sobre os ‘Documentos do Panamá’: A cooperaçõ internacional tem de melhorar e o FMI ficará feliz por fazer a sua parte.)

Na reunião do G-5 europeu, estiveram também presentes a diretora geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), a francesa Christine Lagarde, e o secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), o mexicano José Ángel Gurría.

Face à admitida cooperação das autoridades do Panamá neste sistema de troca de informações defendido pelo G-5, José Ángel Gurría afirmou: “se esse for o caso, e se for decidido por todos, isto serão de facto boas notícias. Estamos recetivos à ideia. Seria fechar com chave de ouro todo este incidente.”

Concrete actions needed to advance global #tax transparency, says A_Gurria</a> in report to G20 <a href="https://t.co/5UZhI9WqCb">https://t.co/5UZhI9WqCb</a> <a href="https://t.co/8IuNtgLWr7">pic.twitter.com/8IuNtgLWr7</a></p>&mdash; OECD (OECD) 15 de abril de 2016

(Ações concretas necessárias para avançar na transparência global, afirma Angel Gurría num realtório péara o G20.)

Today 14h: #OECD & WorldBank</a> host global forum on <a href="https://twitter.com/hashtag/competition?src=hash">#competition</a>. Watch live <a href="https://t.co/wdCtOU28bP">https://t.co/wdCtOU28bP</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/competition4dev?src=hash">#competition4dev</a> <a href="https://t.co/wpPsB3DIVG">pic.twitter.com/wpPsB3DIVG</a></p>&mdash; OECD (OECD) 15 de abril de 2016

(Fórum global da OCDE e do Banco Mundial para a concorrência.)

O incidente referido é o escândalo “Documentos do Panamá”, a investigação jornalística a suspeitas de evasão fiscal com foco na Mossack Fonseca. A firma panamiana voltou esta semana a ser alvo de buscas pelas autoridades, mas sem que fossem encontradas provas contundentes de eventuais delitos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha: Caso "Panamá Papers" faz cair ministro da Indústria

Parlamento Europeu adota diretiva sobre "segredos de negócios"

Filho de Biden declara-se não culpado de fraude fiscal após suspensão de acordo