EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA: Kasich e Cruz selam "pacto de não agressão" contra Trump

EUA: Kasich e Cruz selam "pacto de não agressão" contra Trump
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O partido Republicano cerra fileiras para evitar a nomeação de Donald Trump como candidato da formação às presidenciais norte-americanas. Os dois

PUBLICIDADE

O partido Republicano cerra fileiras para evitar a nomeação de Donald Trump como candidato da formação às presidenciais norte-americanas.

Os dois principais rivais do milionário anunciaram um pacto “de não agressão”, para que Trump não obtenha os 1.237 delegados indispensáveis à sua nomeação na convenção de Julho.

O argumento de Ted Cruz e John Kasich, antes da nova vaga de primárias de terça-feira, reflete as preocupações da cúpula do partido:

“65 a 70% dos republicanos a nível nacional perceberam que Donald Trump não é o melhor candidato para defrontar Hillary Clinton. Se nomearmos Donald Trump, Hillary vai vencer e com uma vantagem de dois digitos”, martelou Cruz.

Donald Trump reagiu ao acordo através da sua conta Twitter, sublinhando o “desespero” dos rivais, quando o milionário continua a somar vitórias após Nova Iorque.

Wow, just announced that Lyin' Ted and Kasich are going to collude in order to keep me from getting the Republican nomination. DESPERATION!

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) April 25, 2016

Cruz acordou retirar a sua candidatura no Oregon e Novo México, em troca, Kasich vai fazer o mesmo no Indiana. Uma forma de transformar as três primárias num SIM ou NÃO a Donald Trump.

Se o milionário, que vai à frente no escrutínio, não conseguir obter o apoio de 1.237 delegados em Julho, os representantes do partido têm o direito a mudar o sentido de voto, o que permitiria deixar Trump fora da corrida à Casa Branca.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"

Homem imolou-se no exterior do tribunal onde Donald Trump está a ser julgado