EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Seca no Zimbabué é a pior em 20 anos

Seca no Zimbabué é a pior em 20 anos
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A falta de água está a ser causada pelo fenómeno meteorológico conhecido como "El Niño" e pela cultura intensiva de milho.

PUBLICIDADE

A atual seca no Zimbabué é já considerada a mais grave de toda a África austral nos últimos 20 anos pela UNICEF. A falta de água está a ser causada pelo fenómeno meteorológico conhecido como El Niño e também pela cultura intensiva de milho.

O programa de pesquisa para a mudança climática, agricultura e segurança alimentar diz que a região tem de mudar de culturas para evitar este tipo de situação.

“Temos de andar grandes distâncias para conseguir água. Às vezes, com bebés às costas. Tive de deixar o meu bebé de três meses em casa, veja como estou suja. Há um grande problema de água”, conta Mollen jongwe, residente na região de Mwenezi.

Com a seca, vêm a fome e as doenças. Mais de 4 milhões de pessoas precisam de ajuda alimentar e há mais de 33 mil crianças a precisar de tratamento para a malnutrição.

Cerca de um milhão de pessoas no país estão a receber ajuda do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas. A UNICEF também acompanha a situação de perto, sobretudo nas regiões mais afetadas, em especial a de Mwenezi.

#Zimbabwe: Thanks to USAID</a> WFP continues to provide relief for those effected by <a href="https://twitter.com/hashtag/ElNino?src=hash">#ElNino</a> : <a href="https://t.co/TXTibrmDAn">https://t.co/TXTibrmDAn</a> <a href="https://t.co/wxkW5ExTVs">pic.twitter.com/wxkW5ExTVs</a></p>&mdash; World Food Programme (WFP) April 30, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cientistas dos Países Baixos tentam converter águas residuais em água potável

Seca: Governo anuncia cortes no abastecimento de água no Algarve

A crise da água na Europa: qual é a gravidade da situação e o que pode ser feito?