Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Áustria: Voto da deceção poderá levar extrema-direita à presidência

Áustria: Voto da deceção poderá levar extrema-direita à presidência
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Áustria poderá tornar-se no Domingo o primeiro país da União Europeia a eleger um presidente de extrema-direita.

Norbert Hofer, o candidato do Partido da Liberdade (FPO), parte como favorito para o escrutínio depois de ter vencido a primeira volta das presidenciais no final de Abril com 35% dos votos.

O homem que fez campanha sobre os receios criados pela vaga de refugiados, enfrenta Alexander Van der Bellen um independente de 72 anos, antigo líder do Partido Ecologista, Professor de Economia e filho de imigrantes estónios.

Segundo um residente de Viena:

“As pessoas têm medo de tudo o que se está a passar – os refugiados, o desemprego que aumenta. É este medo que os leva a votar nos partidos de extrema-direita neste momento”.

Outro habitante de Viena prefere relativizar,

“O presidente da Áustria não é eleito para tomar decisões mas para representar o país no estrangeiro. As decisões na Áustria vão continuar a depender do parlamento”.

As sondagens não conseguem até agora prever o resultado do escrutínio que volta, uma vez mais, a demonstrar a deceção do eleitorado com os partidos tradicionais, os conservadores e os sociais-democratas.

A campanha para a segunda volta é marcada pelos apelos contra o voto em Hofer vindos de Bruxelas, mas também de mais de 4 mil personalidades austríacas que apoiam a candidatura do rival.