Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Nicolás Maduro acusa Espanha de propaganda

Nicolás Maduro acusa Espanha de propaganda
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os protestos sucedem-se na Venezuela, mas Nicolás Maduro atribui agora a Espanha e seu primeiro-ministro, Mariano Rajoy, uma campanha de propaganda contra Maduro.

O país com as maiores reservas de petróleo do mundo, mas onde a inflação se prevê chegar este ano quase aos 700 por cento, onde há falta de comida e de medicamentos e as falhas de energia e água são constantes, viu rejeitada por Maduro uma petição assinada por quase dois milhões de venezuelanos a pedir novas eleições, como constitucionalmente previsto.

É para Espanha, numa altura em que os apelos ao diálogo têm vindo um pouco de todo o lado, – incluindo dos Estados Unidos, o país que Maduro diz querer invadir a Venezuela – que as atenções de Maduro se viram, acusando Mariano Rajoy, o primeiro-ministro espanhol, de orquestrar uma campanha na imprensa contra ele.

Maduro afirmou que um pedido de intervenção militar da OTAN contra a Venezuela está a ser preparado e que é Rajoy quem está por trás disso. Acrescentou ainda que os assuntos internos dos venezuelanos só a eles interessam e, numa alusão às presidenciais espanholas, desafiou Mariano Rajoy a deslocar-se à Venezuela para lá fazer o debate presidencial, onde participaria e “de repente, candidato-me e ganho as eleições em Espanha”, acrescentou.

Na presidência desde 2013, Maduro sucedeu a Hugo Chavez, com quem Espanha tinha já relações tensas. Resta saber se alguém mandará calar Maduro, como o Rei Juan Carlos pediu no passado a Chavez.