Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Suíça diz Não ao Rendimento Básico Universal

Suíça diz Não ao Rendimento Básico Universal
Tamanho do texto Aa Aa

A Suíça rejeitou, de forma massiva, o Rendimento Básico Universal (RBU).

No referendo deste domingo, 76,9% dos eleitores votou contra à iniciativa que iria permitir à Suíça tornar-se no primeiro país do mundo onde o Estado iria garantir um rendimento mínimo, independentemente de se estar ou não a trabalhar.

A taxa de participação fixou-se nos 46%.

Apesar do resultado, os promotores da iniciativa mostram-se satisfeitos.

“Mais de 20 por cento significa que uma em cada cinco pessoas vê essa como sendo a direção certa. A ideia está definida e o conceito está lançado”, assegura um dos promotores da iniciativa, Daniel Hani.

“Penso que o resultado já lá está, hoje, mas são as pessoas, os sorrisos delas é que são a imagem desta bela festa. É uma emoção positiva, a noção de um desejo de mudança, rumo a uma nova sociedade”, remata um dos apoiantes do RBU

Embora o texto da iniciativa não propusesse um valor concreto, os promotores defendiam que cada adulto recebesse 2500 francos suíços, o equivalente a 2255 euros, por mês, e as crianças 625 francos suíços, o que equivale a 563 euros.

Os opositores argumentavam que a iniciativa além de ter um peso excessivo na economia, ia contra os valores do trabalho ao privilegiar aqueles que não querem contribuir para a evolução da sociedade.