Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Detidos 4 suspeitos do atentado em Istambul

Detidos 4 suspeitos do atentado em Istambul
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades turcas prenderam quatro suspeitos de ligações ao atentado desta terça-feira em Istambul. Os sujeitos estarão relacionados com o veículo que foi alugado para o ataque, segundo informam os meios de comunicação locais.

Cerca das 8:40 (menos duas horas em Lisboa), em plena hora de ponta na maior cidade da Turquia, um autocarro da polícia foi alvo de um atentado à bomba.

O número de mortos subiu entretanto de 11 para 12 depois de um dos 36 feridos hospitalizados não ter resistido às lesões provocadas pela explosão de um carro armadilhado.

O governador de Istambul adiantou que a bomba foi acionada à distância no momento da passagem do autocarro da polícia pelo local, o bairro histórico de Vezneciller, muito frequentado por turistas.

O ataque ainda não foi reivindicado. Mas, como é habitual, as autoridades turcas já se apressaram a apontar o dedo aos rebeldes curdos do PKK, com o presidente Erdogan a prometer uma luta “sem tréguas” contra os terroristas.

Durante a tarde, a calma foi regressando lentamente a Istambul, mas quem presenciou a tragédia não esconde a preocupação porque “morrem civis, morrem polícias”, afirma uma testemunha, que não sabe como é que se pode “acabar com o terror, mas é necessário acabar com ele”.

Um casal alemão afirma, por seu turno, que pensou “imediatamente que devia ser um ataque à bomba. Não podia ter sido apenas um trovão, um avião ou algo do género”. Estes turistas acabaram por saber os detalhes nas notícias, mas dizem que, “tendo em conta a situação atual, algo semelhante pode acontecer a qualquer momento em Istambul”.

Desde julho do ano passado, mais de 200 pessoas morreram em atentados na Turquia.

O correspondente da euronews, Bora Bayraktar refere que “dois meses e meio depois do último ataque à bomba em Istambul, o novo atentado levou as autoridades a elevarem novamente o nível de alerta terrorista. A polícia está neste momento tentar perceber quem terá estado na origem deste ataque”.