Última hora
This content is not available in your region

Shell elimina operações em 10 países para cortar custos

Access to the comments Comentários
De  Euronews com REUTERS
Shell elimina operações em 10 países para cortar custos
Tamanho do texto Aa Aa

A multinacional energética anglo-holandesa Shell anunciou que deixará de operar em 10 países, numa medida que visa o corte de custos depois da compra da BG Group, a antiga British Gas, por 48 mil milhões de euros.

A Shell espera poupar, depois da integração da BG Group, cerca de 4 mil milhões de euros, um aumento face 900 milhões inicialmente previstos.

A reestruturação das operações da Shell deverá traduzir-se no despedimento de 12,500 pessoas, embora a empresa não tenha anunciado de que países pretende-se retirar-se.

O Presidente da Shell, Ben Van Beurden, espera que os novos cortes permitam à Shell melhorar a presença nos mercados, depois de uma prestação menos dinâmica face aos rivais ao ser conhecida a compra da BG Group.

Segundo Van Beurden, a Shell vai concentrar-se em metas de crescimento a curto prazo relacionadas com projetos de exploração no Brasil e no Golfo do México. A produção de petróleo de águas profundas poderia chegar aos 900 mil barris por dia até 2020, segundo previsões da petrolífera.

O valor das ações da Shell tinha subido 1,5% pouco depois da abertura dos mercados. A empresa espera que as poupanças, aliadas à venda de propriedade possam beneficiar os acionistas até 10% até ao fim da década, assumindo que o preço do barril de petróleo permanece nos 52 euros.