Armamento: França abre feira com perspetiva de ultrapassar a Rússia nas exportações

Armamento: França abre feira com perspetiva de ultrapassar a Rússia nas exportações
De  Francisco Marques com AP, Direct Matin
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A França abriu esta segunda-feira, em Paris, mais uma edição da Eurosatory, a feira internacional de defesa e segurança, numa altura em que um estudo britânico coloca os gauleses na perspetiva de ultr

PUBLICIDADE

A França abriu esta segunda-feira, em Paris, mais uma edição da Eurosatory, a feira internacional de defesa e segurança, numa altura em que um estudo britânico coloca os gauleses na perspetiva de ultrapassarem a Rússia como segundo maior exportador de armas do Mundo, atrás dos Estados Unidos.

A IHS Jane’s 360 garante que os últimos dois anos (2014-15) foram os melhores em termos de vendas gaulesas das últimas décadas e este ano já terá assegurada uma encomenda australiana de submarinos avaliada em quase 35 mil milhões de euros. Juntando a outros negócios já concretizados, por exemplo, com a Índia, a Arábia Saudita ou o Egito, a França deverá impor à Rússia em 2018 a queda na tabela das exportações de armas pela primeira vez em décadas.

Record breaking $65bn global defence trade in 2015 according to IHS4DefRiskSec</a> our latest release: <a href="https://t.co/M2m2eLTVDD">https://t.co/M2m2eLTVDD</a></p>&mdash; IHS news (IHS_news) 13 de junho de 2016

A abertura da Eurosatory foi, contudo, perturbada pela invasão de um grupo de ativistas. Aos gritos de “Paz, não guerra”, os invasores atiraram tinta vermelha e tinta amarela contra alguns dos equipamentos militares em exposição e em alguns cartazes podia ler-se a comparação desta feira de armamento com um supermercado de morte.

Leclerc tank gets a new paint job at #Eurosatory courtesy if some protestors! Haha. It blends quite well actually! pic.twitter.com/X9PWp3cj0X

— Tim Fish (@sweeneygov) 13 de junho de 2016

#Eurosatory. L’édition 2016 du salon de la #Défense est particulière. Éléments de réponse avec le général Bosser.https://t.co/hZnvrD9TCq

— Armée de Terre (@armeedeterre) 13 de junho de 2016

Empresas brasileiras marcam presença na feira da indústria de defesa https://t.co/R9Bnfmt1jV#Eurosatory#Abimdepic.twitter.com/y1m1GhRvAI

— DefesaeSeguranca (@DefesaSeguranca) 13 de junho de 2016

Um dos ativistas, Christpher Haton, revelou trabalhar “em zonas de conflito” onde tem contactado com “os problemas provocados pelas armas e os problemas da falsa segurança”. “Segurança é importante, eu compreendo isso. As pessoas precisam de se sentir em segurança, mas há outras formas de trabalhar. Eu trabalho muito com refugiados vítimas de armas e do equipamento aqui à venda”, alertou.

A abertura desta feira de armamento em Paris contou com a presença do ministro francês da defesa, Jean-Yves Le Drian, num dia em que até o Papa Francisco apelou ao fim da circulação livre de armas no mundo.

“Não faz diferença de onde as armas vêm, elas circulam descaradamente e com liberdade praticamente absoluta em várias partes do mundo”, lamentou o Sumo Pontífíce durante uma visita ao Programa Alimentar Mundial.

Papa Francisco defende fim da livre circulação de armas em todo o mundo https://t.co/mbe5y0gRFN#economico#depic.twitter.com/oZezz1Fdnm

— Diário Económico (@diarioeconomico) 13 de junho de 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Terceiro dia de greve na Torre Eiffel

Medalhas dos Jogos Olímpicos de Paris têm pedaços da Torre Eiffel

Autoridades francesas investigam salário do presidente do comité dos Jogos Olímpicos de Paris