EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Cameron joga o seu futuro político no referendo desta quinta-feira

Cameron joga o seu futuro político no referendo desta quinta-feira
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Reino Unido decide hoje nas urnas, não só o futuro do país e da União Europeia, mas também do governo conservador no poder.

PUBLICIDADE

O Reino Unido decide hoje nas urnas, não só o futuro do país e da União Europeia, mas também do governo conservador no poder.

O primeiro-ministro David Cameron votou esta manhã em Westminster, em Londres, depois de ter ganho uma batalha ao conseguir rever o “contrato” com Bruxelas, nomeadamente ao limitar os benefícios sociais aos imigrantes no país.

David Cameron and his wife Samantha have cast their #EUref vote pic.twitter.com/BGfLkIrtXv

— Scott D'Arcy (@DArcysj) June 23, 2016

O homem na origem do referendo e apoiante do SIM à permanência na UE, foi uma das vozes a evocar o “caos” económico e diplomático de um ‘Brexi’”, durante a campanha.

Na Escócia, a primeira-ministra Nicola Sturgeon, que ameaçou convocar um novo referendo à independência em caso da vitória do ‘Brexit, votou igualmente esta manhã, a favor do SIM, acompanhada do marido.

I've just voted #Remain - I did so with head & heart because being in EU is best for Scotland. You've got til 10pm to #VoteRemain too #EUref

— Nicola Sturgeon (@NicolaSturgeon) June 23, 2016

Também a favor do SIM, ainda que com algumas reservas sobre o projeto social europeu, o líder trabalhista Jeremy Corbyn, também votou esta manhã.

I've just voted to Remain. The EU provides the best framework to meet the challenges of our time #LabourInForBritainpic.twitter.com/tzhvyBbLsY

— Jeremy Corbyn MP (@jeremycorbyn) June 23, 2016

Um voto em pleno luto do partido, depois do assasínio da deputada trabalhista Jo Cox, na semana passada, às mãos de um extremista.

O marido de Cox, afirmou ontem que a deputada foi morta por causa dos ideiais pró-europeus e pró-imigração que sempre defendeu.

Um incidente que revela antes de mais a intensidade das divisões no país quando, segundo as sondagens, os 10% de indecisos deverão ser decisivos no resultado final do sufrágio.

Um dos ‘tweets’ mais populares da campanha do “Remain”, publicado na conta do humorista David Schneider, mostra alguns dos líderes da campanha pró-“Brexit”, afirmando: “em vez de pensarem em recuperar o controlo do país, pensem naqueles a quem vão entregar o poder”.

"Think not about 'taking your country back'. Think about who you might giving it to" pic.twitter.com/Z2Na49WCHN

— David Schneider (@davidschneider) June 20, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido

Paris impõe estado de emergência na Nova Caledónia. Habitantes temem pela escassez de alimentos

Pós-Brexit: bebidas com baixo ou nenhum teor alcoólico serão vendidas como "vinho" no Reino Unido