Última hora

Última hora

Atentado atribuído ao EI provoca dezenas de mortos no aeroporto de Istambul

Atentado atribuído ao EI provoca dezenas de mortos no aeroporto de Istambul
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo Estado Islâmico (EI) poderá estar na origem do atentado que atingiu esta noite o aeroporto de Istambul, segundo as autoridades turcas.

Pelo menos 36 pessoas morreram e mais de 140 ficaram feridas depois de três bombistas suicidas terem deflagrado as cargas explosivas no terminal internacional e num parque de estacionamento da aerogare.

Os homens, armados com metralhadoras, granadas de mão e cintos de explosivos, teriam disparado sobre várias pessoas antes de detonarem as bombas.

Dois vídeos, difundidos através das redes sociais, mostram o momento da explosão dentro da aerogare.

Um segundo vídeo mostra um dos atacantes a ser alvejado pela polícia, antes de deflagrar o seu cinto de explosivos (imagens violentas).

Uma testemunha relata:

“Eu estava a selar as minhas malas quando ouvi a explosão. A polícia disse que nos deitássemos no chão. A máquina que sela as bagagens era em metal e protegeu-nos da troca de tiros entre a polícia e os atacantes. Vi alguém que era alvejado ao pé de mim e depois vi a bomba a explodir dentro da máquina de raios-X. A explosão matou toda a gente que se encontrava na zona. Levantei-me e quando olhei pela janela vi outro tiroteio”.

Um internauta turco, presente no aeroporto, publicou nas redes sociais esta imagem de uma metralhadora Kalashnikov abandonada no chão da instalação, aparentemente pertencente a um dos atacantes.

Outro vídeo mostra um dos atacantes a percorrer o local do atentado, armado com uma metralhadora.

Entre as vítimas encontram-se vários estrangeiros, embora a maioria seja de nacionalidade turca.

Dos mais de uma centena de feridos, pelo menos seis encontravam-se esta noite em estado crítico.

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, de visita ao aeroporto após o ataque, rejeitou tratar-se de uma falha de segurança:

“As investigações indicam que este ataque foi levado a cabo pelo grupo Estado Islâmico. Não houve falhas de segurança. O facto dos suicidas terem bombas e armas aumentou a gravidade da situação”.

A ação terrorista, que não foi reivindicada, é a 11a e uma das mais mortíferas registadas no país desde Junho do ano passado.

O ataque ocorreu poucas horas depois da Turquia ter autorizado a NATO a reforçar o patrulhamento da fronteira do país com a Síria, para evitar a entrada e saída de jihadistas do EI.

O aeroporto de Istambul retomou a atividade esta madrugada, depois de ter estado encerrado durante várias horas.