EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Colômbia luta pela paz

Colômbia luta pela paz
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O ELN, Exército de Libertação Nacional, é um grupo de guerrilha inspirado pela revolução cubana, e representa um último obstáculo para acabar com mais de 50 anos de guerra na…

PUBLICIDADE

O ELN, Exército de Libertação Nacional, é um grupo de guerrilha inspirado pela revolução cubana, e representa um último obstáculo para acabar com mais de 50 anos de guerra na Colômbia.

A 30 de março foi anunciado que estavam em curso negociações secretas entre o ELN e o Governo colombiano, mas nada avançou desde então.

Os rebeldes recusam-se a qualquer gesto unilateral, enquanto o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, exige que o ELN comece por renunciar aos sequestros.

Em maio, o rapto de três jornalistas, que ficaram em cativeiro durante vários dias, agravou a imagem negativa do ELN. Ao continuar com os sequestros, os guerrilheiros tornaram-se o principal alvo do exército colombiano, após as FARC terem assinado com o Governo colombiano (a 23 de junho) um acordo de “cessar-fogo e desarmamento, que coloca um fim às hostilidades bilaterais”.

Assinado em Havana, após três anos de negociações em Cuba, o acordo é um passo histórico rumo à paz definitiva, porque as FARC são, sem dúvida, o maior oponente militar interno do Estado colombiano.

A sociedade colombiana reconhece a importância do acordo alcançado e, com emoção e alívio, fez a festa em Bogotá.

Mas ainda há caminho a percorrer, como realça esta ativista pela defesa dos direitos humanos e da paz: “Eu nunca tinha ouvido uma única palavra sobre uma decisão política para a paz. Estou muito, muito feliz. Agora, só gostaria de saber que o ELN (Exército de Libertação Nacional), também vai participar. A Colômbia merece ser um país mais justo e em paz. “

As FARC são um dos vários grupos de guerrilha marxista na Colômbia. O conflito começou como uma revolta camponesa, em 1964, e transformou-se numa guerra civil que já provocou, pelo menos, 222.000 mortos e milhões de deslocados. Desde os anos 80, grupos paramilitares e traficantes de droga são, também, protagonistas do conflito.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alemanha promete milhões em ajuda ao Sudão no aniversário da guerra

Primeiro-ministro do Haiti apresenta demissão

Bashar al-Assad de visita a Xi Jinping