EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Até onde vai a ousadia de Trump?

Até onde vai a ousadia de Trump?
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Com a controvérsia em torno de Humayun Khan, vários membros do Partido Republicano dizem que, desta vez sim, Donald Trump foi longe demais.

PUBLICIDADE

Com a controvérsia em torno de Humayun Khan, vários membros do Partido Republicano dizem que, desta vez sim, Donald Trump foi longe demais.

O mais recente alvo do candidato conservador à Casa Branca foi a família de Humayun Khan, um soldado morto no Iraque em 2004. Trump criticou a participação dos pais de Khan num encontro dos Democratas, afirmando que só o marido falou e que a mulher “provavelmente nem teria autorização para dizer o que quer que fosse.”

I was viciously attacked by Mr. Khan at the Democratic Convention. Am I not allowed to respond? Hillary voted for the Iraq war, not me!

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) July 31, 2016

A velocidade com que profere comentários polémicos tornou-se imagem de marca. Quem não se sabe que ele pretende construir um muro para impedir a vinda de mexicanos? O argumento lançado em Las Vegas é que, “quando o México manda os seus cidadãos para os Estados Unidos, não manda os melhores. Manda pessoas que têm vários problemas e que trazem esses problemas com elas.”

Política externa: Trump anuncia querer restabelecer o diálogo com o líder norte-coreano, Kim Jong-un. E tenciona meter Pequim ao barulho. “Gostaria de falar com ele. Teria de pressionar a China nesse sentido, até porque temos um imenso poder económico sobre os chineses. A China pode resolver a questão do diálogo com um encontro ou só um telefonema”, considera.

O Papa também não escapa. Em fevereiro, declarava que “se o Vaticano vier a ser atacado pelo Estado Islâmico, o que seria o maior dos seus troféus, posso garantir-vos que o Papa vai desejar e rezar para que Donald Trump tivesse sido eleito presidente.”

Os ataques a Hillary Clinton falam por si. Lido na conta twitter de Trump: “Se Hillary não consegue satisfazer o marido, o que dizer da América?”

Muitos analistas previram que a investidura republicana lhe acalmaria os comentários provocadores sob pena de afrontar mais fatias do eleitorado. Trump não lhes prestou grande atenção.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Democratas pressionam Joe Biden para reavaliar candidatura às presidenciais

Trump aceita nomeação para corrida presidencial e cita Orbán no discurso

Apoaintes de Trump lançam moda das ligaduras nas orelhas