Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ataque informático revela dados pessoais de mais 25 desportistas

Ataque informático revela dados pessoais de mais 25 desportistas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O ataque informático à base de dados da Agência Mundial Antidoping promete fazer correr rios de tinta e esta quinta-feira foram revelados os dados pessoais de mais 25 desportistas de oito países diferentes.

Chris Froome e Bradley Wiggins estão na lista, os dois ingleses nunca testaram positivo mas não se pode dizer que sejam novatos nas controvérsias relacionadas com o doping, um calvário que persegue qualquer ciclista profissional.

Froome reagiu assim com naturalidade à publicação do seu ficheiro, assegurando que nada tem a esconder e que em nove anos como profissional, apenas por duas vezes consumiu uma substância proibida com fins terapêuticos, no caso para tratamento de asma, devidamente autorizado pelo médico e que a última vez foi em 2014.

A exceção para uso terapêutico está precisamente no centro da questão, ou não fosse usada e abusada pelos atletas que viram os seus dados expostos. Haverá naturalmente doenças que é preciso curar, mas no momento em que a exceção se torna uma regra na alta competição, é caso para perguntar: se os desportistas de elite têm sempre uma exceção para consumir substâncias proibidas, qual o papel da Agência Mundial Antidoping?