EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Egito recebe último dos navios de guerra Mistral

Egito recebe último dos navios de guerra Mistral
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Amarras soltas no caso dos navios de guerra franceses da classe mistral.

PUBLICIDADE

Amarras soltas no caso dos navios de guerra franceses da classe mistral.

A França entregou a segunda de duas fragatas de assalto anfíbio à marinha egípcia e termina assim uma longa história iniciada com a anexação da Crimeia por parte da Rússia.

No porto francês de Saint-Nazaire, a bandeira egípcia foi içada no “Anwar El Sadat”, um navio polivalente de 199 metros de cumprimento com capacidade de transporte de 22 mil toneladas, também conhecido como porta-helicópteros.

.dcnsgroup</a> delivers the 2nd <a href="https://twitter.com/hashtag/Mistral?src=hash">#Mistral</a> class LHD to the Egyptian Navy, the Anwar El Sadat <a href="https://t.co/P4DR12tGPF">https://t.co/P4DR12tGPF</a> <a href="https://t.co/VLwvfJD3O2">pic.twitter.com/VLwvfJD3O2</a></p>&mdash; NavyRecognition (NavyRecognition) 16 de setembro de 2016

O “Anwar El Sadat”, nome de um presidente egípcio, prémio Nobel da paz assassinado em 1981, vai ter a sua base em Alexandria. A tripulação de 360 marinheiros recebeu uma formação rápida depois do equipamento russo daquele que se chegou a chamar Vladivostok, ter sido substituído por outro de acordo com a operacionalidade egípcia.

A compra dos dois navios por cerca de 950 milhões de euros, graças a um financiamento saudita, conclui um caso que envolveu a Rússia, cliente inicial das embarcações.

A agenda política dos russos no leste ucraniano e o subsequente embargo de armas ditou a anulação do negócio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Três feridos em ataque à faca no metro de Lyon

Macron desloca-se à Nova Caledónia para tentar pôr termo à violência no arquipélago

Polícia francesa mata homem que tentava incendiar sinagoga em Rouen