Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Roma recua na intenção de organizar Jogos Olímpicos de 2024

Roma recua na intenção de organizar Jogos Olímpicos de 2024
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A cidade de Roma irá retirar a sua candidatura à organização dos Jogos Olímpicos de 2024. O processo ainda não está concluído mas não apanha ninguém de surpresa.

A nova presidente da câmara Virginia Raggi já tinha dado a entender isso mesmo em entrevista à euronews:

“Mais que uma questão de desporto, os Jogos Olímpicos são uma questão de infraestruturas, de construção. Sempre foi assim nas grandes competições e não apenas em Itália. Os dados económicos ao longo da história são claros, as cidades organizadoras contraíram uma enorme dívida. Em Montreal, relativamente à previsão do orçamento inicial os custos cresceram 796%.

Os custos são estes, a informação é esta. Eu diria que Roma, com uma dívida de 13 mil milhões de euros, não pode aumentá-la ainda mais, não pode construir uma catedral no deserto.

Se for para falar de desporto, sou a favor mas temos de começar por falar nas infraestruturas da cidade. Roma tem mais de 160 a cair aos bocados e nunca ninguém se preocupou em recuperá-las ou renová-las. Se for para falar de desporto, estamos aqui o dia todo.”

A marcha atrás de Roma está dependente de aprovação do Conselho Municipal mas não será a primeira. Hamburgo, na Alemanha, também chegou a apresentar a sua candidatura mas tudo caiu por terra depois da população local ter chumbado o projeto num referendo.

Quer isto dizer que sobram apenas três candidatas à organização dos Jogos Olímpicos dentro de oito anos. Los Angeles, tida como a principal favorita e que já acolheu a maior competição do desporto mundial em 1932 e 1984.

A maior adversária da candidatura norte-americana parece ser Paris. A capital francesa já tentou organizar, sem sucesso, os Jogos de 1992, 2008 e 2012 mas continua a sonhar com os terceiros Jogos Olímpicos na cidade, cem anos depois da última vez.

Resta Budapeste, a única das candidatas que nunca recebeu os Jogos Olímpicos. O sonho continua vivo na Hungria, pelo menos até 13 de setembro do próximo ano, data em que será anunciada a candidatura vencedora.