Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

EUA: Exército intervém nas manifestações em Charlotte

EUA: Exército intervém nas manifestações em Charlotte
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois da segunda noite de confrontos, o exército norte-americano foi chamado a intervir na cidade de Charlotte, na Carolina do Norte.

O vídeo não dá provas absolutas de que ele estivesse a apontar uma arma ao polícia.

Kerr Putney Chefe da polícia de Charlotte

A população está revoltada com a morte de um homem desarmado às mãos da polícia – um caso longe de ser inédito e que se tem repetido ao longo dos últimos meses. O facto de se tratar de um negro, tal como em casos anteriores, dá uma dimensão racial aos protestos.

O chefe da polícia confirma que a vítima estava, pelo menos aparentemente, desarmada: “O vídeo não me dá provas absolutas de que ele estivesse a apontar uma arma ao polícia. Não vi isso nos vídeos que estive a rever”.

Os últimos confrontos entre os manifestantes e a polícia fizeram pelo menos nove feridos, incluindo uma pessoa ferida com gravidade com um tiro na cabeça. A polícia garante que não foi autora do disparo. As autoridades fizeram pelo menos 44 detenções e usaram gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes, quando os protestos degeneraram em violência. O governador da Carolina do Norte decretou o Estado de emergência para esta cidade.

Nos últimos meses, várias cidades americanas viveram situações deste tipo quando indivíduos desarmados, sobretudo negros, têm sido mortos pela polícia. O tema do racismo vem a lume, embora em vários casos – este último incluído – o autor do disparo seja, também ele, de raça negra.